Irmãos, e ingredientes…

Versão Portuguesa

Eu gosto muitas coisas, doces, salgadas e ate mesmo sensaboronas. Enfim, uma extensível lista de coisas. No entanto existe um tipo de carne, que eu gosto muito de trabalhar. O frango, não só por ser, baixo em gordura, mas também, porque é uma carne que me sabe muito bem. Então de quando em vez faço misturas estrambólicas, que me fazem chegar a bons pitéus. Pelo menos segundo o meu paladar. Hoje trago uma receita de empadas de frango e maçã, mas antes de chegar à receita, quero falar um bocadinho de uns “alguéns” que me assolaram, enquanto eu desenvolvia esta receita. Os meus irmãos.

Ora vejamos, esta receita como já disse, tem frango e maça mas também tem massa folhada… Estes três ingredientes, fazem-me lembrar o tipo de irmãos que eu tenho.

O frango, é a Marta. Calma Marta, isto tem uma razão de ser. Sabes o conceito de galinhas no galinheiro, todas picam, todas são barulhentas, mas na hora de proteger quem vai ser apanhado, todas se encobrem. Eu e a Marta somos um bocadinho assim, pegamo-nos, estrebuchamos, eu parti-te um dedo e tu partiste-me um dente… No entanto, nem tu sabes viver sem mim nem eu sem ti. Todos os dias arranjamos motivo para ligar à outra, nem que seja para dizer asneiras, ou fazer badalhoquices como só tu sabes. Nesta minha receita, o frango traz a riqueza de uma refeição completa.

A maçã. Segundo reza a história, Newton estava sentado debaixo de uma macieira, quando uma maçã lhe caiu na cabeça e o fez ser um iluminado da teoria da gravidade. A Andreia é esta maçã, que me caiu não na cabeça, mas numa fase de mudança da vida. É aquele irmão, com o qual eu não tenho qualquer relação de sangue, no entanto adaptou-se tão bem ao meu feitio e eu ao dela, que podemos passar 2 meses sem nos vermos, que sabemos que quando nos voltarmos a encontrar nada mudou na nossa relação. A verdade é que eu aprendi a ver um mundo muito diferente do meu, através da Andreia. Nesta receita, a maçã traz a leveza e ao mesmo tempo a consolidação de sabores.

A massa folhada. Eu não sei se sabes como é feita a massa folhada, então é assim, ingrediente principal, manteiga. Muita manteiga. Depois de bem assada a massa folhada fica estaladiça e por camadas, mas a não ser que lhe arranques um bocado, ela não se desfaz. Este é aquele amigo-irmão que tu tens que sabes que se o mundo desmoronar, ele vai encontrar algo de positivo. É aquele irmão, que tu escolheste mas só te apercebes da resistência dos laços com ele quando o mundo desaba, e nada demove a vossa ligação. É um irmão, que à semelhança dos outros dois, não muda, e quando te liga é para dizer asneirada da grossa e perceber se estás bem. Este meu irmão é o Diogo. Nesta receita, a massa folhada traz as calorias, ninguém se apercebe do erro desta receita saudável, até chegar ao fim e lembrar-se que comeu massa folhada.

Os irmãos são isto, são a riqueza, o equilíbrio e a loucura dos momentos equilibrados. São os irmãos que nos ajudam a formar personalidade, que nos ajudam a saber lutar e a dizer asneiras. São os irmão que tanto nos protegem como nos dizem que somos ridículos. São os irmãos, que quando mais ninguém quiser saber de nós, vão ligar e aparecer, para nos ajudar a sair do buraco.

Por isso eu quero agradecer aos meus irmãos, pela relação que tenho com eles e por estarem lá, quando ou outros desaparecem!

Feliz dia dos irmãos!

PS: Quanto ao resto dos ingredientes que compõem esta receita, e que tornam toda a receita ainda mais saborosa (tomates e pickles), confesso que para mim são os meus pais e o Pedro. Porque o frango a massa e a maçã, só surtem o efeito incrível, porque estes os tomates e os pickles me fazem apaziguar o coração!

English Version

I like many things, sweet, salty and even unflavored. To be truth, it’s an extensible list of things. However there is a kind of meat, which I love working. Chicken, not only because it’s low in fat, but also because it’s a meat that, for me tastes very well. So, from time to time I do strange mixtures that make me reach delicacies. At least according to my taste. Today I bring you a recipe of chicken and apple pies, but before I get to the recipe, I want to talk a bit about the somebodies that struck me as I developed this recipe. My brothers.

Let’s face it, this recipe as I said, has chicken and apple but also has puf pastry. These three ingredients, remind me of the kind of brothers I have.

The chicken is the Marta. Calm down Marta, this has a reason for being. You know the concept of chickens in the henhouse, all pink, all noisy, but when time comes, to pick ne, they protect each other. Me and Martha are a bit like that we fight, we cry, I broke you a finger and you broke me a tooth … But none lives without the other. Every day we find a reason to call to the other, even if only to say stupid things, or do nasty things as only you know. In this recipe, the chicken brings the richness of a full meal.

The Apple. According to the story, Newton was sitting under an apple tree when an apple fell on his head and made him be an illuminated of the theory of gravity. Andreia is this apple, that did not fall on my head, but on a time my life was changing. It’s that brother, with whom I have no blood relationship, but adapts so well to my style and I to hers, we can go two months without seeing ourselves, we know that when we turn to find each other, nothing has changed in our relationship. The truth is that I learned to see a very different world from mine, by Andreia. In this recipe, apple bring the lightness and simultaneously consolidating flavors.

The puff pastry. I do not know if you know how to bake puff pastry, just to clear minds, mais ingredient is butter. Lots of butter. After well baked the pastry is crisp and with layers, but unless you take a bite, it does not fall apart. This is that friend-brother that you have, and that you know, that even if the worlds is falling apart, he will find something positive. It’s that brother, that you have chosen but you only realize the resistance of ties with him when the world falls apart, and nothing thwarts your connection. It’s a brother who, like the other two, does not change, and when he calls is to say nasty things and make sure you’re ok. This is my brother Diogo. In this recipe, the puff pastry brings the calories, and one only realizes the error of this recipe when reached the end and remember that ate puff pastry.

Brothers are this, the richness, balance, and madness of balanced moments. Brothers help us form personality, which help us to know how to fight and say stupid things. Brothers both protect us and tell us that we are ridiculous. It’s brother, when we  feel alone, after everybody turn their back, who will call and appear in order for us to get out of black hole.

So I want to thank my brothers, the relationship I have with them and being there when  others disappear!

Happy Brother’s day!

PS: As for the rest of the ingredients in this recipe, that’s makes it all even more tasty recipe (Tomatoes and Pickles), I confess that for me are my parents and Pedro. Because the chicken puff pastry and apple, only reach the incredible effect, because tomatoes and pickles make me in peace with my heart!

FOLHADO DE FRANGO E MAÇÃ (8 folhados)

O que vais precisar?

  • 2 Rolos de massa folhada;
  • 3 Maças;
  • 2 bifes de peito de frango;
  • 1 Tomate picado;
  • 1 Colher de sopa de pickles igualmente picados
  • 1 Colher de sobremesa de Molho Inglês;
  • 2 Colheres de sopa de rabo de boi;
  • 1,5 Copo de vinho Branco;

Como vais fazer?

  1. Descasca as maçãs, coze-as e faz um puré. Reserva;
  2. Corta o peito de frango aos cubos;
  3. mistura, a sopa de rabo de boi, ao vinho;
  4. Numa Wook, coloca um fio de azeite, e quando estiver quente, coloca o frango, o molho inglês, o tomate e os pickles. Dá umas voltas para os ingredientes de misturarem e adiciona a mistura do vinho com o rabo de boi, e deixa cozinhar o frango. Se estiver a ficar sem liquido adiciona mais vinho e vai tendo sempre em atenção ao sabor. Desliga o lume, quando o frango estiver cozinhado e o molho, reduzido.
  5. Deixa arrefecer o frango;
  6. Divide cada rolo de massa folhada em quatro, e coloca um bocadinho de frango e por cima cobre com o puré de maçã. Fecha a empada e pincela com ovo. Faz o mesmo com os restantes 7;
  7. Leva ao forno, previamente aquecido, deixa cozinha bem a massa folhada.
  8. Retira e serve!

WP_20160302_19_56_26_ProWP_20160302_20_26_36_Pro

 

 

 

O conforto hoje soube-me a trouxas de carne

Versão Portuguesa

Esta coisa de ter um cão e um gato tem mexido com o meu sono. Digo isto de ânimo, muito pouco leve. Até porque, ao fim de alguns dias a conviver com estes relógios ambulantes, já nada é feito de ânimo leve. É mais feito de olhos pesados e corpo cansado.

Quando aceitamos ter a Lili (a gata), a intenção não era tê-la cá em casa. Era mante-la na aldeia, porém, as condições tornaram-se adversas, e a gata teve de vir para a cidade. Veio viver com o seu cão, e com mais um grupo de estranhos que lhe dão comida TOP e muita atenção. No início, para o cão da Gata, tudo foi dramático. De tal forma, que ele acabou nas urgências veterinárias a ser examinado. Quanto à gata do Cão, a essa nada lhe custou. Foi conquistando o seu espaço, como se fosse D. Afonso Henriques. Inicialmente dormia na cozinha, depois começou a abrir os olhos, como o Gato das Botas do Shrek, e num fim-de-semana em que eu não estava, os meus pais deram-lhe tudo. (Tenho para mim que se ela fosse uma borlista, neste momento, nem cidade nem aldeia. Vivia debaixo da ponte.) Dar-lhe tudo, significa podes ir para qualquer parte da casa menos ao último piso. Porque é lá que estão os 7 pássaros. Ora, o fruto proibido é sempre o mais apetecido, escusado será dizer, que ela já por várias vezes que foi apanhada com as patas nas gaiolas e a língua a lamber o focinho. Gata malvada… Eu digo gata malvada, porque ela tem feito do Leo, um escravo Egípcio. Ele bem se revolta, mas duvido que alguma vez se dê ao trabalho de atravessar o deserto. Este Leo, é um subjugado à gata. Eu ainda não entendi porquê. Ele mora nesta casa à 4 anos, toda a gente o adora, até os vizinhos. No entanto, no que toca à Lili ele é um manso. Ela ferra-lhe as patas, ela faz do rabo dele, cabeleira, ela salta por cima dele e agarra-lhe o focinho. O que faz o Palerma?! Precisamente, nada ou então ronca… É revoltante ver um cão, ser subjugado a uma amostra de gato. O problema maior é, todos nós estamos subjugados à Lili…

Chegamos assim ao início desta conversa. A Lili tem um relógio interno. Desde que lhe abriram as portas da casa, ela tirou o Leo da minha cama para poder dormir nela. Ou então o Leo cedeu-lhe a minha casa para não ser assediado. Desde então todos os santos dias, mas todos mesmos, eis que às 7 da manha, ela levanta-se, espreguiça-se e vem ao encontro da minha cara. Senta-se muito quieta e fica a olhar. O relógio desperta, eu digo bom dia, calo o relógio e ela encaminha-se para os meus pés e começa a ferrar. Eu afasto o pé e ela começa a fazer asneiras. Anda pela mobília do quarto a meter tudo ao chão, até eu perder a paciência, e levantar-me. Depois de levantada já não há volta a dar. A gata tem fome e já acordou o cão, da forma mais doce que existe…. Ferrando-o. O cão, desce as escadas numa corrida só e vai para a  porta da cozinha, bater na porta para fazer o seu xixi matinal, e a gata enleia-se nas minhas pernas porque a malga de comida dela está vazia… Com isto, devo admitir que gastei pelo menos 50 minutos. Ou seja, quando finalmente me sento para tomar o meu café da manhã, já o relógio está prestes a dar 8h e eu tenho de sair… Bom dia, digo eu a mim mesma…. Pego na mala, vou para o trabalho.

Hoje andava nos meandros da internet, quando me deparei com umas trouxas de carne, com aspecto muito suculento. Não sei de que forma o meu cérebro, correu para a minha manha de hoje. Que foi exactamente, como a que aqui descrevi. Pensei então, na sorte que tenho, por ter uma família incrivelmente estranha, um cão e uma gata que me massacram. 7 Pássaros, que mal sentem a entrada do sol, já não se calam. Senti-me aconchegada. E porque o aconchego neste momento me soube a trouxas de carne, é precisamente isso que trago. Trouxinhas de carne, em louvor de todos aqueles, que como eu têm uma família tudo menos comum e no entanto sentem que estão no sitio certo!

English version

Having a dog and a cat, messed with my sleep. I speak not freely of mind, because, after a few days living with this clocks, nothing seems freely to me.

When we accept having to Lili (the cat), the intention was not to have it here at home. It was to keep it in the village, however, the conditions become adverse, and the cat had to come to town. She came to live with her dog, and with a group of strangers that give it great food and lots of attention. In the beginning, everything was dramatic, for the Cat’s dog. So, he ended up in the veterinary emergency room being examined. As for the Dog’s cat, it didn’t cost him nothing. It was conquering space, like D. Afonso Henriques. Initially, it slept in the kitchen, then began to open its eyes as Shrek’s Puss in Boots, and then during a weekend of, my parents gave it everything. Give it all, means it can go anywhere in the house less penthouse. Because that is where 7 birds cages are. As you know, the forbidden fruit is always the most wanted, needless to say, she was repeatedly caught with its paws in the cages and tongue licking his nose. Evil Cat … I say evil cat, because she has made of Leo (the dog), an Egyptian slave. He feel angry, but I doubt he would ever bother to cross the desert. Leo is a subjugated to the cat. I still do not understand why. Leo lives in this house for four years, everybody loves him, even neighbors. However, when it comes to Lili he is a silly. She bites his paws, she makes his tail like a wig, she jumps over him and grabs his nose. What does the silly Leo do ?! Precisely, nothing or else he snores at her … It’s sickening to see a dog, being subjugated to a sample of a cat. The biggest problem is, all of u, the adult humans, are subjugated to Lili …

So we come to the beginning of this conversation. Lili has an internal clock. Since they opened the doors of the house, she took Leo from my bed to be able to sleep in it. Or Leo gave her my home to avoid being harassed. Since then all days, at 7 am, she gets up, stretches and meets my face. She sits very still and stares at me. The clock rings, I say good morning, shush the clock and she forwards to my feet and begins to bite my toes. I pull my foot away and she starts making trubles. Walks through the bedroom furniture to put everything on the floor until I lose patience and get up. After being up, I no longer sleep. The cat is hungry and has already waked the dog, in the sweetest way…. biting him. The dog, runs down the stairs and goes to the kitchen door, knocks on the door to make his morning pee, and the cat, she is around my legs because her food bowl is empty … With this, I must admit I spent at least 50minutos. That is, when I finally sit down to take my breakfast it is about 8am and I have to leave … Good morning, I say to myself …. Caught my bag, I leave to work.

Today I was wondering around internet, when I came across little meat pies, with very juicy aspect. I do not know how my brain went for my morning today. Which was exactly like the one I described here. Then I thought, how lucky I am for having an incredibly strange family, a dog and a cat bother me. 7 Birds, who barely feel out the sun, no longer get silent. I felt cozy. And because the warmth at this time knew me in front of meat pies, that is precisely what I bring. Meat pies, in honor of all those, who like me, have a family anything but ordinary and yet feel that they are in the right place!

FB_20150903_21_16_55_Saved_Picture

TROUXAS DE CARNE (serve 4)

O que vais precisar?

  • 1 rolo de massa quebrada;
  • 150gr de presunto, cortado em pedaços pequenos;
  • 4 fatias de queijo;
  • 4 colheres de café de orégãos;
  • 4 tomates cherry

Como vais fazer?

  1. Liga o fogão a 200º.
  2. Divide o rolo de massa quebrada em quatro;
  3. Corta os tomates em rodelas pequeninas;
  4. Enrola as fatias de queijo e corta-as também em pequenas rodelas;
  5. Em cada pedaço de massa quebrada, dispõe os orégãos, depois o tomate, de pois o queijo e por fim o presuntos.
  6. Fecha o pedaço de massa quebrada como se fosse um embrulho;
  7. Leva ao forno num tabuleiro bem untado com azeite;
  8. deixa assar até ficar louro.

Come e saboreia a sensação de conforto!

WP_20150916_19_55_11_Pro

WP_20150916_20_21_37_Pro