Dezembro!

Ah Dezembro. Como eu te adoro, já cá andas há 10 dias e eu já sinto as veias entupidas de açúcar.

Vejamos, este mês é para mim O mês. Ah é porque fazes anos? Ah, é porque é Natal? Ah, é porque é a mudança do ano? Ah, espera é porque há ferias?! Isso tudo. Dezembro é um mês especial para mim. Inicia-se com um feriado, como Novembro, mas querendo ser diferente oferece-nos logo de seguida um novo feriado que, ainda por cima é dia da mãe (tenho mesmo de me mexer com isto dos presentes). Uns dias depois, não é feriado é certo, mas é o meu aniversário. Confesso que deixei de contar anos depois dos 22, e portanto é só mais um motivo para festejar, porque o número não muda, 22. Também neste mês, o grupo de voluntariado, organiza a ceia dos sem-abrigo. Adoro, principalmente porque a expressão deles vale mais que uma carteira bem recheada. Ora se isto não me chegasse, juntei-me a uma família cheia de aniversários em Dezembro. Logo é festa quase, dia sim, dia sim senhor.

Quando tudo parece acalmar, eis que chega a noite mais acolhedora do ano, a noite de Natal, rabanadas, pao-de-ló, queijo da serra, queijo da serra com pão-de-ló, ferrero rocher, guyllian, after eigth, bilharacos, tronco de natal, bacalhau… vou só ali desapertar o cinto, para conseguir acabar de falar sem enfartar…

Ora temos 24 e 25, o que torna tudo ainda mais intenso. Quando já só faltam meia duzia de dias para o mês e o ano acabar, eis que se inicia o processo de preparação para a passagem de ano. Vestido novo, festa XPTO, sapateira comprada… Bolas por este andar, vou ter um grave problema em Janeiro para conseguir caber dentro do meu vestido de noiva… Este é o meu maior problema durante este mês, pelo menos manter o meu peso. E eu juro que sinto peso na consciência, mas eu acho que engordo só em cheirar, e como cheirar não alimenta, acabo sempre por comer. Haverá neste mundo desgraça maior do que cair em desgraça durante um mês inteiro?! O que me salva é que todos os anos, eu peço um desejo especial, ficar magra. São 25 anos a pedir sempre o mesmo desejo. Portanto, isto ou em 2018 se concretiza ou temo que isto dos desejos é uma farsa. E só para começar a testar já os desejos, vou voltar a apertar o cinto, dirigir-me à cozinha e comer uma fatia de pão-de-ló fofo, com cobertura de doce de kiwis e maçã, que fiz aqui há tempos.

Ps1: Viva o mês de Dezembro

Ps2: Feliz dia das mães (atrasado), para todas as mães que como a minha só quer que festejemos o dia 8, mas fica triste se não lhe oferecemos uma flor no 1ºdomingo de Maio.

Ps3: Que comecem as festas!!!

 

PÃO-DE-LÓ FOFINHO

O que vais precisar?

  • 3 Ovos;
  • 3 Colheres de farinha;
  • 6 Colheres de açúcar;
  • 1 Colher de café de bicarbonato;
  • 1 Colher de café de fermento;
  • 1 Colher de sobremesa de baunilha ou sumo de limão;
  • 1 Colher de sopa de óleo;

Como vais fazer?

  1. Liga o forno a 130’
  2. Separa as gemas das claras, e bates as claras em castelo, bem firmes e reserva
  3. Bate as gemas com o óleo e o açúcar, ate ficar esbranquiçado;
  4. Com auxílio de uma colher de pau adiciona as claras, e mexe, sempre movimentos calmos
  5. Numa taça mistura a farinha o bicarbonato e o fermento,
  6. Adiciona metade do preparado anterior à massa e mistura bem, sempre calmamente para entrar ar na massa. Repete até terminar a farinha
  7. Unta uma forma com manteiga e leva ao forno. 30mins fica pronto.
  8. Depois de arrefecer, come tal como está, ou sê gulosa como eu e barra com doce ou chocolate… hmmmm

WP_20171119_11_38_39_Pro

Anúncios

Parabéns e profiteroles!

Sim já sei, estou com uns dias de atrasos nas minhas actualizações… Mas como sempre, tudo tem uma justificação. Eu chamo-lhe a ocupação de uma desocupada. Vejamos, não é que eu seja desocupada, é só que os meus dias dependem muitos daquilo que aparece para fazer. Acontece que esta foi daquelas semanas em que eu consegui ocupar todos os dias. Tendo culminado no monumental aniversário do meu progenitor e pai. Sim porque existe uma diferença entre progenitor e pai. Segundo a minha mãe eu não nego à firma, segundo eu, tenho um mega pai!

Pois bem, entre um domingo de festa (não só de senhora d’Ajuda mas também porque o Pedro terminou o curso), uma ida até Fátima com piquenique (onde descobrimos que alguém consegue pagar uma maquia de 240€ por frango de churrasco e batatas fritas), um dia de curso de culinária onde aprendi a fazer massa de piza (estou histérica para poder pôr em prática a receita), chego a sexta-feira. Dia de Sopas, ou seja voluntariado para os mais desfavorecidos, contudo esta semana não fui porque o mais velho homem da minha vida festejou o seu aniversário. Verdade seja dita, dia 26 de Setembro não é o dia de aniversário do meu pai, é o dia em que ele foi registado… Tu pensas: “e então? Não é assim que é o normal?”. Eu respondo:” Não, não é assim. Ou melhor é assim agora. Contudo, há uns anos atrás, o atraso na hora de registar o bebé implicava uma multa, assim como o registo implica um pagamento. Pois bem, os meus avós eram extremamente pobres, e não tinham como pagar o registo do meu pai, então quando arranjaram dinheiro, já tinha passado algum tempo, de tal forma que o meu pai já comia pão quando foi registado. Parece que os meus avós conseguiram enganar o senhor do registo e acabaram por não pagar multa nenhuma. Tendo tudo isto acontecido, no dia 26 de Setembro de 1952.

Os anos passaram e nunca se soube o verdadeiro dia de nascimento do meu pai. Por isso, desde que me conheço por gente, o dia dele é o dia 26 de Setembro.

O meu pai é daqueles homens que não dão valor nenhum ao seu aniversário, durante os restantes 365/364 dias. Ou seja, se for esquecido nesse dia, ele deprime… Um ano testamo-lo… Precisamente no ano em que ele comemorou 50 anos, fizemos uma festa surpresa e combinamos que ninguém lhe podia dar os parabéns… Quando chegamos ao restaurante toda a família e amigos estavam presentes, ele ficou em estado de choquedo. Foi incrível.

Andando uns anos à frente, mais precisamente 10, ano em que o meu pai fez 60 anos. Calhou na época de férias dos meus pais, ou seja na semana de aniversário do meu pai, eles estariam em Barcelona… Foi então que eu, a Marta e a Andreia, perdemos a cabeça, metemo-nos num avião e fomos cantar os parabéns ao meu pai ao vivo. Tudo sem ele sequer imaginar. Foi incrível, ver o sentimento de um homem tão alfa, à flor da pele. Todas as meninas dele por perto. O bolo de aniversário dele, foi um queque que compramos numa pastelaria. Ele estava tão incrivelmente feliz que quando nos deixou no metro para nós voltarmos a casa, deu-nos um abraço tão forte que nós acabamos as três no metro de lágrimas a bailar… Que gajas tão sentimentalistas.

Este ano escondemos a chegada da Andreia… Agora que olho para este texto penso: “Estamos a mal habituar o pai desta família. Pró ano não podemos fazer nada de surpresas…De contrário não saberemos o que fazer nos 70”… Enfim, continuando. Este ano escondemos a chegada da Andreia, foi difícil porque eu quase me descaí… Mas conseguimos, quando ele viu a “filha” até os olhos se riram.

Fizemos um almoço em família e um jantar em família. Contudo a tensão maior decorreu no jantar. O meu pai (benfiquista) entre o Pedro (portista) e o João (sportinguista). De fundo decorria o dérbi… Eu acho que ele estava contente não só por ter as meninas dele, como ter os dois rivais futebolistas tão próximos, a festejar o seu aniversário em noite de dérbi. Correu tudo bem, e o resultado que o meu pai tanto torcia aconteceu, empate. No fim tiramos a selfie de comemoração. Tudo pensado pela Andreia, que por seu turno se juntou à minha mãe e à Marta para fazerem a pose… Que três!

Enfim, a semana começou com festa e um bolo meu. No meio houve viagem e pão feito por mim, com receita aprendida nas aulas de culinária. Ora aniversário do pai, tinha de ter bolo de Gecla, e houve. Na verdade houve dois, um para o almoço e outro para o jantar. O do almoço foi um pão-de-ló recheado de maracujá e coberto com chocolate. Já o do jantar, foi profiteroles, uma pequena pirâmide de profiteroles. Já não fazia a receita há imenso tempo, mas correu bem. Por isso, vou dar-te a receita dos profiteroles para experimentares em casa. Não dá trabalho, testa é a paciência!

Quanto aos últimos acontecimentos tenho a dizer:

  • Parabéns Pedro pelo teu trabalho ter sido recompensado;

InstagramCapture_90ce73c6-70b6-400c-bf83-e1e33e9f0db0

  • Parabéns pai, por seres sem dúvida o melhor do mundo, e por te estares a aguentar tão bem para um dia… quando chegarem os netos!

IMG_0718

BOLO DE PROFITEROLES

O que vais precisar?

Profiteroles (receita do livro 1001 cupcakes, biscoitos e outras tentações, edição Parragon Books Ltd 2009 (obrigada Patrícia!))

  • 70gr de margarina;
  • 200ml de água;
  • 100gr de farinha simples;
  • 3 Ovos ligeiramente batidos.

Molho de Chocolate (receita do livro 1001 cupcakes, biscoitos e outras tentações, edição Parragon Books Ltd 2009 (obrigada Patrícia!))

  • 125g de chocolate negro;
  • 35g de manteiga;
  • 6 Colheres de sopa de água;
  • 2 Colheres de sopa de açúcar em pó peneirado (adição minha).

Recheio (eu comprei o meu, mas podes ser tu a fazer. Vou dizer como fiz com os meus)

  • Doce de ovos;
  • Doce de maracujá;
  • Doce de morango.

Como vais fazer?

   Profiteroles

  1. Unta um tabuleiro de forno e liga o forno a 150º;
  2. Coloca a manteiga e a água ao lume, num fervedor;
  3. Assim que a manteiga estiver derretida, retira do lume;
  4. Adiciona a farinha e mexe freneticamente com uma colher de pau, até a massa descolar das paredes do fervedor;
  5. Passa farinha no tabuleiro;
  6. Adiciona os ovos à massa e com uma batedeira mexe tudo;
  7. Coloca a massa num saco de pasteleiro, com um bico simples;
  8. Faz bolinhas de dimensão de metade uma bola de golfe;
  9. Salpica o tabuleiro com água;
  10. Leva ao forno até as bolinhas começarem a ficar acastanhadas;
  11. Retira-as do forno, e pica cada uma para libertar o vapor;
  12. Está na hora de rechar;

  Recheio

  1. Coloca doce de ovos num saco de pasteleiro;
  2. Coloca doce de maracujá noutro saco de pasteleiro;
  3. Coloca doce de morango, noutro saco de pasteleiro;
  4. Neste não coloques bico, a pressão do recheio contra a bolinha permite a abertura de um buraco para o recheio;
  5. Enche a profiterole com o sabor que quiseres. Eu usei mesmo os três e depois misturei, assim ninguém sabe que sabor vem;

  Molho de chocolate

  1. Coloca o chocolate, a manteiga e água numa tigela em banho-maria;
  2. Quando todos estiverem derretidos envolve bem e adiciona o açúcar, mexe até se tornar um liquido homogéneo.

  Montagem!!

  1. Num prato de bolo coloca um circulo cheio de bolinhas, e rega com chocolate;
  2. faz uma segunda camada de bolinhas com um diâmetro inferior, rega com chocolate;
  3. Repete este processo até só te sobrar uma para o topo!

IMG_0714

603366_10200279252729088_1512932646_nWP_20140926_16_52_08_Pro