Pais!

Versão Portugues

Quando tu tens 6 anos e chega o derradeiro momento de ir para a escola, aprender coisas novas, sentes um gelo no estômago, porque isso vai implicar menos tempo com a mãe e o pai e os irmãos. Contudo, vais aprender coisas novas, para ensinar à mãe, pai e irmãos.

Quando tu tens 15 anos, e a tua vida torna-se uma depressão profunda porque o armário onde entraste parece ser demasiado grande para ti, existem pessoas que te tentam dar mapas. No entanto, esses mapas têm orientações tão parvas. A tua única vontade é gritar ao mundo: “baza, que tu não entendes puto disto. Para piorar tas a tentar ser cool e não passas de um cota”.

Quando tens 18 anos e entras no mundo dos adultos, não à amarras que te mantenham preso. O mundo é uma descoberta, tu podes votar, conduzir e beber (pelo menos em Portugal). Existem, no entanto, aqueles caretas a quem chamamos pais, porque assim foi concebido pela sociedade, que passam a vida a tentar aconselhar:”Não faças isso; Olha para o estado em que chegaste a casa?; Se estiveres com os copos, liga que eu vou buscar-te”. Pois sim, vais é cascar-me, mas eu sou grande, forte e pior ADULTO. Eu sei bem o que é o certo e o errado.

Entretanto chegas aos 27 anos. Já passaste por muitas loucuras. Olhas para trás e pensas:”jura que fiz aquilo??”. Também olhas para trás e sentes:”Fogo, eles avisaram-me mil e cem vezes… Eu mil e cem vezes fiz ouvidos moucos”

Há uns tempo, a conversar com uma amiga de longa data, mãe de pessoas adultas e bem formadas, esta dizia que educar um filho é tarefa difícil porque a base é deixar cair, mas deixar sempre um bom colchão de penas no chão. Assim à sempre um amortecimento da queda.

Eu hoje venho aqui por isso mesmo. Eu hoje venho aqui na qualidade de filha de uma mãe aniversariante, e de um pai apaixonado pelas suas mulheres (como ele tanto gosta de dizer). Esta minha mãe passou a minha, ainda tão curta, vida a chamar-me à atenção. A ralhar comigo por tudo e por nada, (eu diria mais por nada do que por tudo). A fazer-me ver à bruta que o mundo está cheio de perigos, e eu sou uma cabeça no ar. Já o meu pai, passou a minha curta vida a fazer o papel do pai coerente, que deixa cair 100 vezes até saber andar de patins… Pois sim, continuo uma nódoa negra. Enfim, estes dois, encontraram-se a meio das viagens deles, descobriram pontos em comum e fizeram vários bebés… sobramos eu e a Marta. Cometeram mil e cem erros nas nossas educações, tentaram minimizar todos obviamente, mas eu e a Marta não somos fáceis, saímos a vocês!

Assim, só vos quero agradecer, na qualidade de filha.

Obrigada mãe por tantas vezes me incutires a necessidade de encontrar um amor verdadeiro. Aprender a separar os ovos, para bater um bolo bonito. Parabéns por estares a envelhecer da forma mais bonita e sexy. Tenho para mim que um dia quando tu fores avó, os miúdos te vão ver mais como mãe do que avó. Tu estás demasiado bem para a tua idade… A gravidade não toma conta de ti já reparaste bem… Espero quando chegar aos teus números (que, não vai acontecer porque eu parei nos 23) conseguir ter um ar tão naturalmente bonito.

Obrigada pai, por tantas horas a dar-me cabo do juízo por causa das contas, tabuadas e enfim… números. Obrigada por teres explicado à mãe que mais importante que ser uma boa dona de casa, era ser uma mulher de sucesso, assim criaria postos de trabalho, contratando uma empregada, e o mundo seria muito mais aproveitado.

Parabéns aos dois pelo amor que têm e nos dão.

Hoje não é o vosso aniversário de casamento, mas reparei de manha que para ti pai, é um aniversário de amor. Por estares ao lado da tua Leoa. Espero honestamente, continuar a ser testemunha da vossa ligação, quase ancestral. Espero um dia conquistar o que vocês conquistaram. Mais ainda, espero que no dia em que os 57 me baterem à porta, o homem da minha vida me dê os parabéns como assisti hoje de manha. Com um amor, estampado nas expressões.

Parabéns mãe.

Ps: Não há receita hoje…. desculpa

English Version

When you have 6, and reaches the moment to go to school, learn new things, you feel butterflies in your stomach, because that will mean less time with mom, dad and siblings. However, you will learn new things, to teach mom, dad and siblings.

When you have 15, and your life becomes a deep depression because the closet where you entered seems to be too big for you, there are people who try to give you maps. However, these maps have silly guidance. Your only desire is to shout to the world: get of,  you don’t understand . You’re trying to be cool but you’re to old for that“.

When you have 18 and you enter the world of adults, there’s no chains that keep you stuck. The world is a discovery, you can vote, drive and drink (at least in Portugal). There are, however, those who we call parents, because that was designed by society, who spend their lives trying to advise: Do not do that! Look at your aspect?; If you are drunk, call and I’ll pick you up.” Well yes, you will bore me to death, but I am big, strong and worse ADULT. I know well what is right and wrong.

However you arrive at 27. Already gone through many parties and crazies. You look back and think, “swears I did that??”. Also you look back and feel: “God, they warned me eleven hundred times … I did eleven hundred times a deaf ear

Some time ago, I was talking with a longtime friend, mother of adult and well-educated people, she said that educating a child is a difficult task because the base is letting them dropp, but always leave a good feather mattress on the floor. So it can cushion the fall.

I come here today for this very reason. I come here today as the daughter of a birthday mom, and a passionate dad by his girls (as he likes to say). This mom of my, came to my still so short, life calling my attention. Scolding me for everything and anything, (I would say more for anything than for all). Making me see the a world is full of danger, and that of course, I’m a head in the air. In other hand, my dad spent my short life to playing the role of coherent dad, letting me drop 100 times until I know how to rollerblad Well yes, still a bruise. Anyway, these two found themselves in the middle of their travels, they found common ground and made several babies Only me and Martha, survived. They’ve committed eleven hundred errors in our educations, tried to minimize all obviously, but both Marta and I are not easy, we are your kids!

So, I just want to thank you, as a daughter.

Thank you mom for so many times drivng me to the need of finding true love. Learning to separate the eggs, to baket a beautiful cake. Congratulations, you are aging the most beautiful and sexy way. I suppose one day, as grandmothers, kids will see you more as a mom than grandmom. You’re too good for your age Have you noticed that gravity doesn’t care for you? I hope, when I get to your numbers (that will not happen because I stopped in 23) can look so naturally beautiful.

Thank you dad, for so many hours spent in teaching me times tables and numbers. Thank you for having explained to mom that more important than being a good housewife, it is to be a successful woman, and create jobs by hiring a maid, and the world becomes better.

Congratulations to both for the love you have and give us.

Today is not your wedding anniversary, but I noticed in the morning that for you dad, is a birthday love. Because you are near to your moma bear. I hope honestly, to continue to be a witness of your connection, almost ancestor. I hope someday to conquer what you have achieved. Moreover, I hope that on the day, when 57  hit’s the door, the man of my life give me congratulations like I watched this morning. With a love expressions.

Congratulations mom.

Nb: No recepie for today… Sorry

mae e pai 001

SAM_6621

Mãe dos adultos… só se for com sementes de papoila!!

Há uns anos atrás, enquanto fazia zapping na TV, encontrei um programa da Oprah. Facilmente parei o zapping para assistir ao programa. Como sempre, o tema era híper interessante.(Sim porque os programas da Oprah são sempre muito bons, principalmente o das favourite things. Fico sempre com vontade de estar no lugar de um daqueles sortudos do publico para ir para casa cheia de caixotes de coisas novas.) O tema era sobre a droga das mães norte americanas, ou melhor mom’s helper. Lembro-me que na altura fiquei chocada, com o facto de as mães tomarem a Ritalina, diagnosticada aos filhos com défice de atenção. Resumidamente, às crianças hiperativas, receita-se Ritalina para se tornarem mais sossegados, produzindo o efeito zombie. Por seu turno, aos adultos, torna-os mais focados nos objectivos e ajuda a manter o peso ou perder. Também ajuda aos AVC’s, coisa que uma jovem mãe provavelmente não se vai preocupar, porque é jovem e os jovens não sofrem de AVC’s. Enfim, para se tornarem super mães, usufruem da medicação do filho. Na altura eu não percebia muito bem o que aquilo significava, mas então comecei a ver donas de casa desesperadas e às tantas a Linete Scavo, mãe de uma família numerosa, faz uso da Ritalina para se tornar uma mãe extremosa, organizada e concentrada. A verdade é que aquilo pacificou bastante os Scavos. Novamente eu não percebia muito bem o que se estava a passar. Questionando até que ponto ser mãe era uma tarefa tão tramada que leva ao consumo de drogas.

Porem, esta semana percebi o porquê.

Esta semana, a minha mãe foi internada 48h horas, para ser submetida a uma cirurgia. Ate aqui tudo mais ou menos pacifico, contudo a bomba caiu. A mãe vai para ao hospital, mas a Angélica está em casa para tratar de tudo, durante a ausência da mãe. Eu aceitei o desafio, achando que ia ser “melzinho na chupeta“. Até que descubro que toda a gente afinal tem um outro nome na boca que não é Angélica, é mãe. Ou seja durante 48h fui mãe a tempo inteiro do meu pai, das minhas três tias mais velhas, do cão, dos pássaros e até da minha irmã mais velha. Tive de acordar quase antes do galo cantar, fazer o pequeno almoço, arrumar a casa, dar roupa, ajudar nas tarefas das tias. Tratar da higiene e comida do cão, manter os passarinhos vivos… ao fim de duas horas no meio deste fogo cruzado, senti-me exausta. Nesse momento enviei SMS ao Pedro para lhe dizer que a minha mãe tinha de voltar o quanto antes ou eu cortava os pulsos com uma faca de manteiga. (só para chamar à atenção, porque eu não sou suicida).

O problema é que ter de ouvir os pedidos de todos e as criticas pelos atrasos, foi o que mais doeu. Bolas eu não sou a mãe, e julgo que se fosse, alguém tinha levado uma bela sova. C’um caraças, no fim do dia eu estava exasperada. Caí na cama e a única coisa que me passou pela cabeça foi, caramba, como é que ela consegue?? Foi então que me lembrei das mães norte americanas, compreendendo o porquê de não conseguirem resistir à tentação de serem as mães ideais para agradaram a todos. Como é óbvio a minha mãe não toma nada, até porque o autocarro de medicamentos que a perseguem, já são demasiado para se meter na Ritalina. A verdade é que ela é uma espécie de super mãe e a verdade é que consegue. Bem ou mal, ela consegue.

As ultimas 24h chegaram, eu comecei a manhã com café duplo, (tinha de fazer experiências) a meio da manhã mais um, ao fim da manhã outro. Incrível. Aguentei-me heroicamente sem vacilar. Ate tive tempo para fazer um bolo. Enquanto pensava no que colocar no bolo pensei novamente no facto de tantas mães serem super-mães, com ou sem ajuda. Pensei também na história do bolo muito procurado que na verdade continha ópio sem ninguém saber. Ou seja, acrescentei sementes de papoila, na expectativa de inocentemente estar a confeccionar ópio no meio de um bolo que me fizesse ter a sensação da Ritalina, afinal  eram mais 12h no emprego de mãe. Porem não funcionou, de tal forma que às 5.30 comecei a amolecer quase imediatamente, tendo acabado esparramada no sofá a dormir profundamente. Ou seja, ainda não descobri como é que o senhor colocava “inocentemente” ópio no seu bolo, mas descobri que ser-se mãe é uma tarefa digna de uma super-heroína. Principalmente, quando os filhos têm idade entre os 30 e os 90.

A operação da minha super-mãe foi um sucesso e ela hoje já esta mais independente, ou seja tive descanso. Nesse descanso pensei se não estarei a viajar na maionese quando falo na módica quantia de três filhos num futuro!

BOLO DROGADO

O que vais precisar?

  • 6 ovos;
  • 220gr de Açúcar;
  • 130gr de farinha;
  • 20gr de amêndoa sem pele cortada grosseiramente
  • 20gr de nozes cortadas grosseiramente;
  • 20gr de sementes de papoula;
  • 100gr de óleo;
  • 20gr de fermento em pó;
  • Açúcar em pó, canela e noz moscada para decorar.

Como vais fazer?

  1. unta uma forma com manteiga e polvilha farinha;
  2. Coloca os ingredientes todos numa bacia, menos o fermento. Bate com a batedeira;
  3. Adiciona o fermento e mexe muito bem com uma colher de pau;
  4. Coloca a massa numa forma e leva ao forno por 40minutos, 150º
  5. Antes de o retirar vê se está bem cozido, fazendo o teste do palito;
  6. Desenforma e polvilha com açúcar em pó, noz moscada e canela.

Ps1: é óptimo para o lanche;

Ps2: vou servir às visitas da minha mãe….

Ps3: Mais importante do que ser uma óptima mãe, é ser uma mãe saudável. Conselho de uma filha!

WP_20141002_14_14_31_Pro WP_20141002_14_15_32_Pro