Bola de carne via WhatsApp

Eu, a Marta e a minha Mãe (o nome dela é Mãe, daí o M), temos uma relação muito estranha. Ambas, eu e a Marta, estamos diariamente com os meus pais, no entanto mal nos vemos.

Ah, ok, então não são muito próximas. Ora aí está o problema, somos. Somos demasiado próximas eu diria, mas de uma forma estupidamente desapegada. Ou seja, ambas sabemos da vida uma da outra, por intermédio da nossa Mãe e ainda do nosso  BFF, WhatsApp.

Isso, WhatsApp.

Nós temos um grupo as três, onde diariamente, partilhamos, localizações, um bebé, uma gata, três cães e três maridos… Iup, isso mesmo. Nós estamos sempre ligadas. Ao ponto da Mãe, se ter esquecido de como se escrevem SMS, e acabar constantemente a dar recados, a pessoas que estão sem wi-fi e dados móveis desligados…

Estamos a treinar está parte com ela. Descobrimos, quando percebemos que estávamos a perder parte da informação.

O WhatsApp tornou-se tão importante nas nossas vidas, que às 8h todos os dias, hora que a Mãe acorda, os telemóveis tocam com um bom dia, e daí até à hora da última se deitar, é uma alegria.

Obrigada aos criadores do WhatsApp, porque uniram de uma forma muito intensa, pouco física a Gajas. Nome que demos ao nosso grupo.

Nós estamos tão sincronizadas, ou a Marta e a Mãe, que no domingo entre a parafernália de fotos aparece uma bola recheada de ovo. Segundo a Mãe, a receita passou no Malato e é muito boa, ao ponto do Pai repetir.

Entretanto, chega a Marta que tinha estado a fazer alguma coisa com a Eva e diz que fez precisamente o mesmo almoço, mas adicionou queijo à carne.

Confesso que me perdi e pedi para explicar o que fizeram… A Mãe disse: “Quando vieres eu conto…”

Tinha de ser fisicamente, porque ela ainda não percebeu como funciona a útil funcionalidade de gravar instruções, que o WhatsApp tem.

Então, quando lá fui a casa ela explicou…

“Cozes um ovo, mas não muito, depois descascas muito bem e envolves em carne, passas por ovo, farinha e fritas”

E eu disse: “Então e se o ovo for escalfado?”

“Oh não inventes, faz como te digo que é muito bom…”

Viemos embora, era dia de borrasca e não há nada como estar em casa enquanto a chuva e o vento fustigam as janelas.

Durante a tarde, enquanto assistia Alta Infedeltà, pensei em como fazer a comida das gajas.

Fui para a cozinha, a pensar nos casos de infidelidade óbvia que tinha visto, e sem peso na consciência enganei a receita toda. O pior é que ficou muito bom.

Foi tão óbviamente enganada, que quando mostrei à Mãe ela disse: “Que mania que tu tens em mudar tudo. Isso n é uma bola…. Mas ‘tava bom não ‘tava???”

 

Mães

BOLA DE CARNE RECHEADA (serve 2)

O que vais precisar?

  • 300gr de carne picada (mistura de vaca e chouriço corrente);
  • 100gr de queijo ralado (usei mozzarella);
  • meia colher de café de sal grosso;
  • 1 colher de sobremesa de molho inglês;
  • 3 colheres de sopa de pão ralado;
  • 2 colheres de sopa de molho mostarda, mel e endro (encontrei isto no Lidl e é incrível);
  • 1 colher de café de molho picante;
  • 2 ovos;

Como vais fazer?

  1. Liga o forno a 200º;
  2. Misturas tudo na carne e fazer uma massa gigante;
  3. Divides em dois;
  4. Pegas num quadrado de papel de alumínio, e untas com azeite, colocas-lhe a carne em cima e espalmas;
  5. Abre um ovo, colocas por cima da carne, e moldas a carne ao ovo, eu não fechei (este processo é complicado, porque o ovo tem tendência para escorregar, por isso faz uma conchinha com a mão para ajudar);
  6. Levas ao forno (baixa para 170º), por uns 15 minutos. Retiras, fechas o papel de alumínio, com cuidado para não  te queimares e voltas a colocar no forno por mais 20 minutos;
  7. Retiras, abres o alumínio e tiras a “bola” de carne;

Eu acompanhei com arroz, mas acho que esta carne pode ser acompanhada com praticamente tudo, até puré de batata.

 

IMG_20180408_201710 (1)

Anúncios