Eu num curso de culinária?! parece que sim….

Depois de várias conversas, na bancada do campo do campo de futebol onde os nossos namorados jogavam, eu caí na particular asneira de contar à minha prima Regina que gostava de fazer um curso do tipo cake design. Daquelas coisas que tu dizes naturalmente, sem pretensões nem pressões.

Um dia a minha prima Patricia aliciou-me num concurso do continente, onde poderia sugerir uma das minhas receitas. Por cada fase que passasse, o cartão continente da minha mãe tornava-se mais recheado. Como não tinha nada a perder, enviei uma receita. Ganhei €50, mas não cheguei a ir à praça da Alegria…

A dada altura do mês de Janeiro, recebi uma sms a dizer que tinha sido seleccionada para a primeira fase do masterchef. No inicio pensei que estavam loucos, depois descobri que tinha sido a minha irmã Marta a inscrever-me… Fiquei um bocado chateada, porque eu não sou nem chego aos calcanhares dos aspirantes a Chef, eu faço comida simples e prática… e para mim. Bem, o Rui disse que eu não tinha nada a perder que ia comigo, também acabei por arrastar o Diogo, a Raquel e a Andreia para a loucura. Não passei à fase seguinte, mas também não fiquei triste, porque nesse fim de semana fui à hambúrgueria do Bairro.

Perante este cenário tu pensas, espero honestamente que tenhas ganho juízo e desistido da cozinha… Pois aí é que tu te enganas… Em Dezembro passado, aquando do meu vigésimo sexto aniversário, o meu vasto grupo de amigos uniu-se para me oferecer um presente especial. Um cheque prenda para um curso à minha escolha numa escola de culinária… A sensação com que fiquei foi, oh eles afinal não gostam dos meus cozinhados… Afinal, segundo os meus investidores, eles só queriam que eu aperfeiçoasse as minhas qualidades para tornar os jantares entre nós ainda mais deliciosos. Eu dei-me por vencida, até porque era uma coisa que eu gostava muito de fazer. Tenho de confessar que toda esta tramóia foi organizada pela Regina, quase contada pela Marta e rapidamente desmentida pelo Rui… Raios todos em conluio nas minhas costas…

Logo no dia seguinte, fui pesquisar sobre a escola, que cursos tinham… Enfim fiquei apaixonada, escolhi logo o que queria… porém o tempo foi passando e a oportunidade de ir fazer o curso nunca mais aparecia. Foi então que durante este “verão”, vi que a escola tinha um curso para iniciantes de cozinha e pastelaria. O preço estava dentro do meu cheque prenda, a matéria tinha muitas coisas que eu já faço, mas muitas que nunca experimentei. Ou seja, liguei à Rosa, a senhora que trata das burocracias da minha nova escola e ela disse que havia vagas, inscrevi-me instantaneamente. Tenho andado numa excitação crescente com o inicio das aulas, até mandei um email à Rosa para saber se tinha de levar um avental, um caderno, qualquer coisa. Ela prontamente disse que não, eu lá no fundo fiquei um pouco desiludida… Bolas, nem um caderno preciso de comprar?!

Finalmente, na passada terça-feira chegou o dia. Foi DEMAIS! Os colegas são todos simpáticos, o Chef é super descontraído e falador. A Rosa é um doce e eu adorei tudo. Desde a forma como o Chef nos ensinou as pequenas coisas das receitas, à readaptação de receitas, enfim foi demais. Primeiro temos uma parte teórica, depois cada um pega numa receita e elabora-a. A mim calhou a mousse de chocolate, o que foi muito bom porque finalmente pude utilizar uma daquela batedeiras gigantes. Não é kitchenAid, mas é como se fosse. Ou seja, finalmente bati claras em castelo nunca gigante batedeira… tão incrivel, é como se as claras se tornasse pedaços de nuvem… Que loucura. No fim tivemos de experimentar tudo o que cozinhamos… esta foi a parte dramática devido à minha actual condição… Mas eu provei de tudo e depois fui a correr para o comboio… Foi como se não tivesse ingerido nada… ou assim eu sonho!

Resumindo e concluindo, tenho andado desde terça feira a pensar numa receita, que se baseie no que aprendi no primeiro dia, e ao mesmo tempo agrade aos que contribuíram para a minha nova formação. Então pensei num bolo de pêra, noz e geleia…. Não fazia ideia se resultaria ou não, mas como quem não arrisca não petisca experimentei. O resultado pelos vistos valeu a pena… porque parte do bolo já se foi!

Aproveito para dizer que a minha nova escola se chama Segredos d’Avó (http://www.segredosdavo.pt)

Também quero agradecer aos meus amigos , mais uma vez pelo presente. Ainda só fui uma vez mas estou a adorar!!!

Regina, Tiago, Cris, Micael, Helena, Ricardo, Diogo, João e Milai.

BOLO DE PÊRA NOZ E GELEIA

O que vais precisar?

  • 270g de ovos (5 tamanho L);
  • 230g de açúcar;
  • 70g de geleia;
  • 160g de farinha;
  • 70g de miolo de Noz grosseiramente triturado;
  • 80gr de Óleo;
  • 130g de Pêra cortada em pedaços finos e sem pele;
  • 20g de fermento

Como vais fazer?

  1. coloca os ingrediente todos numa bacia na ordem apresentada;
  2. mexe com uma colher de pau até deixares de sentir o açúcar. Ou então, mexe com a batedeira até sentires que a massa se encontra bem misturada;
  3. Unta uma forma com manteiga e polvilha farinha;
  4. Verte a massa do bolo para a forma e leva ao forno a 150º por 30 minutos. Se começar a queimar a superfície coloca papel de alumínio por cima para não queimar;
  5. Quando estiver cozido, retira o bolo do forno, desenforma e polvilha a superficial com açúcar em pó e raspas de chocolate de leite.

WP_20140918_12_00_24_Pro WP_20140918_12_01_31_Pro WP_20140918_12_01_52_Pro

Quando o calor te traz marmelada!!!

Chegou aquela altura do ano em que as arvores brotam frutos. Vá este ano com algum atraso porque o clima anda tresloucado, mas não importa. Finalmente começaram a chegar cá a casa os frutos tão doces e típicos do mês de agosto, figos e marmelos. Dos figos o pouco que posso dizer está relacionado com o fascínio do meu pai, da minha mãe e da tia Lina, que não é minha já que eu a partilho com toda a gente. Estes três elementos fulcrais na minha vida, para alem do fascínio por figos e o amor que nutrem por mim, são diabéticos. Um deles é inclusivamente insulina-dependente. Não vou nomear quem é, dou só a pista que é o elemento que não é só meu mas do mundo. Pois bem estes três adoram figos. Contudo, existe algo que eles gostam mais do que figos, chama-se marmelada e geleia. De tal forma que rapidamente foi introduzida na minha cultura, a sobremesa Romeu e Julieta. O meu pai comia com muita frequência e depois ganhou juízo.

Só  à parte, eu tenho um primo que não conhece mais nenhum tipo de sobremesa, somente Romeu e Julieta. Bruno, estamos contigo, mas o mundo é vasto em coisas novas… e que tal profiteroles ou mousse de chocolate???

Pois bem, voltando à marmelada e geleia, todos são fãs. Principalmente quando é caseira. Para nossa sorte nesta altura, aparecem sempre muitos cestos de marmelos ca em casa… seja porque a tia Lina marralhou na feira, ou porque um amigo aleatório dos meus pais tem um marmeleiro e decidiu abençoar-nos com a sua dádiva. Até ao corrente ano eu fui só menina de cheirar o vapor dos cozinhados de marmelada e geleia. Vá, dava para provar. Além disso, sempre que faço um rolo recheio com geleia, porque quando não o faço, tanto o meu pai como a minha mae, como a tia Lina verbalizam o seguinte:’ tá bom, mas para a próxima recheia com geleia’… e acabo a fazer isso mesmo. Contudo, este ano fui eu quem fez as conservas cá de casa!!! Vá, não fiz bem bem sozinha. Primeiro, porque os marmelos apareceram descascados, e tanto eu como as minhas unhas agradecemos. Segundo, porque a minha mãe funcionou praticamente como um GPS atualizado e foi-me dando as indicações acertadas para eu não acabar a estragar 10kg de marmelos… de qualquer forma, devo dizer que foi um trabalho árduo. Estar na cozinha, a mexer os panelões, sempre preocupada com as consistências, tonalidades e cheiro… foi tão desgastante. De tal forma, que nesse dia acabei por ir até à praia descomprimir. Atividade que este ano, apesar da chegada dos marmelos, se está a tornar cada vez mais escassa por causa do tempo temperamental.

Em resumo, hoje trago a receita de marmelada e geleia da minha mãe. Ah aposto que pensavas que te ia dar a famosa receita do Romeu e Julieta… pronto, eu dou. Tudo em prol do facto de teres alguém na família que suspira pela combinação agridoce desta sobremesa… que não passa de uma fatia de queijo limiano, grossa, e uma fatia de marmelada, igualmente grossa… é verdade o meu pai adora… quanto ao meu primo Bruno, não vou comentar, a relação dele com esta sobremesa é parecida com a relação do Romeu e da Julieta, todos são contra mas eles amam-se.

Quanto aos meus três diabéticos, tenho a dizer que passo a vida a esconder a geleia e a marmelada… mas eles farejam… é como se o açúcar lhes estivesse no sangue… espera eu sei, está.

MARMELADA

O que vais precisar?

  • 2kg de marmelos descascados (reservas as cascas);
  • 1,750kg de açúcar.

Como vais fazer?

  1. Começas por retirar os caroços aos marmelos. Junta as cascas e os caroços e reserva, com eles vais fazer a geleia;
  2. Cozes os marmelos em agua;
  3. Côa-se o liquido e passa-se com a marinha mágica;
  4. Adicionas o açúcar ao marmelo cozido e levas ao lume. Com uma colher de pau vai mexendo a marmelada ate engrossar;
  5. Deixa arrefecer e um bocado e divide por recipiente de conserva.

WP_20140820_13_01_20_Pro

GELEIA

O que vais precisar?

  •  cascas e caroços dos 2kg de marmelos;
  • Açúcar q.b.

Como vais fazer?

  1. Cozes em água as cascas e caroços. Coze muito bem;
  2. Coa o liquido e reserva;
  3. Pesa o liquido e adiciona a mesma quantidade de açúcar. Por exemplo, 1litro de liquido 1kg de açúcar;
  4. Leva novamente ao lume e vai mexendo até ficar com um tom avermelhado;
  5. Divide por recipientes de conserva e tens geleia todo o ano.

WP_20140820_13_02_24_Pro