Atum rima com Outono!

Versão Portuguesa

E não é que chegou o Outono? Ah pois é, e com o outono veio a minha vontade de comidas de outono. Sim, a realidade é esta, comida de outono. As comidas de outono, são aquelas que comemos com camisolões vestidos e não sentimos vontade nenhuma de o tirar. Aquelas comidas, altamente calóricas, também comummente conhecidas por comida de conforto. A comida de conforto serve para os dias frios. Se bem que não me parece que o calor esteja pronto para ir embora. Pronto os dias já não sabem a verão mas sabem a uma primavera tardia. De manhã está fresco, de tarde aquece e as noites, maiores, estão fresquinhas.

Hoje enquanto me passeava nas redes sociais, eis que me deparo com a chegada da primavera no Brasil, flores de cores vibrantes e felizes. Eu poderia ter ficado afetada com esta discrepância continental. Porém, a minha verdade é que existem duas estações que me aquecem o coração, o Outono e a Primavera. Por isso, se no Brasil se colhem orquídeas roxas, em Portugal podemos comer bolinhas de atum sem pensar que mais mês menos mês temos de vestir o biquíni.

Assim sendo, espero que faça umas boas férias Sr. Verão. Quanto a nós, Sr. Outono, conto consigo para inspirações como a de hoje!

English version

What about autumn’s arrival? Oh yeah, and with autumn, my urge for autumn food. Yes, autumn food. Autumn food is the one that you eat with nightshirts dresses and do not feel gut to take it off. This food, highly caloric, also is commonly known as comfort food. The comfort food is for the cold days. Although I do not think the heat is ready to leave. Even thou, days don’t taste like summer, but like late spring. In the morning is fresh, afternoons warm up and evenings, largest than before, are cold.

Today as I was surfing on social networks, I faced myself with the arrival of spring in Brazil, with vibrant, happy color flowers. I should have been affected with this continental discrepancy. But my truth, is that there are two seasons that warm my heart, autumn and spring. So if in Brazil are harvested purple orchids in Portugal, you can eat tuna balls without thinking that in a bit we have to wear bikini.

Therefore, I hope you have good holidays Mr. Summer. As for us, Mr. Fall, hope you bring me inspirations like today!

BOLINHAS DE ATUM

O que vais precisar?

  • 1 lata de atum;
  • Igual quantidade de atum (do peso de uma lata de atum), em pão recesso;
  • 1 cubo de marisco;
  • Salsa qb;
  • Erva provençal, qb;
  • Oregãos, qb;
  • Leite, o mesmo peso do atum.
  • Farinha;
  • 1 ovo

Como vais fazer?

  1. Ferver o leite com o cubo de marisco;
  2. Escorrer o óleo, azeite ou agua do atum, e espaçar bem o atum;
  3. Quando o leite estiver morno, depois de fervido, regar o pão recesso. Deixar o pão absorver e escorrer os excessos de leite;
  4. Misturar o atum, a salsa, a erva provençal e os oregãos ao pão e fazer uma massa;
  5. Depois da massa pronta,fazer bolinhas, passar na farinha e depois no ovo. Repetir o processo até acabar a massa;
  6. Aquecer o óleo, e fritar as bolinhas.

Hmmm, comida de Outono!!

WP_20150923_19_38_07_Pro

Natal a 100%…

Os meus últimos dias têm sido caótico. De tal forma, que me senti quase como a Lucy, no filme Lucy, não pelos intrincados, mas pela capacidade de usar o cérebro a 100%. Sim eu sei, eu não usei o cérebro a 100%, mas vi-me obrigada a usar os meus 10% a 100%, (de notar que não se usa só 10% do cérebro, contudo para o filme que se segue, esta afirmação é plausível).

Estamos a 17 de Dezembro, dia em que fiz um post sobre um quiz de Natal. Este dia, correu sem percalços, normalíssimo. Pacifico. Contudo, com o nervoso miudinho de estar prestes a entrar na casa dos 27… Bolas, canseira! O dia acabou e o começou dia 18. O dia 18, é o dia de aniversário da Sof’s a irmã do meu mais que tudo, fomos até Braga cantar-lhe os parabéns. Porque ela até é uma boa menina. Contudo devo relembrar que a distancia entre Espinho e Braga é de aproximadamente 50km, ou seja 4 pessoas meteram-se no carro, percorreram 50km com intuito de cantar parabéns a 1 pessoa… Se isto não é um ato de amor e natalício, mostrem-me os vossos caixotes do lixo. A festa acabou e regressamos a casa. Pelo caminho, entramos no dia 19 de Dezembro, também conhecido pelo aniversário da Angélica. Foi uma alegria. O namoradão e os pais do namoradão, cantaram os parabéns. O telemóvel começou a tocar… Eu estava delirante, e cheia de sono, porque já passava em muito do meu horário de recolher. Nessa noite, deitei-me tarde… Vá eu agora com 27, aprendi a valorizar o conceito de dormir. Cá em casa, é para acordar cedo, e eu tenho de seguir as regras, logo o ideal é deitar-me cedo… Coisa que não aconteceu e às 8h da matina, tinha o Pai, a Mãe e o Leo a cantar-me parabéns e a acordar-me numa festa só. Eu adoro este momento anual, mas eu tinha tanto sono… Escusado será dizer que já não dormi mais, porque a pessoa faz anos, mas tem trabalho para fazer. Esse dia foi especialmente cheio de trabalho. Tratar dos afazeres do FasSopa, levar a Marta aos domicílios, enfim um autocarro de coisas. Tudo seria normal, não fosse o facto de durante o caminho para um desses domicílios, um Yorkshire ter decidido atravessar-se no meio do meu caro. Podia ter morrido… mas não, ao que parece eles sabem o que fazer quando a roda traseira de um carro lhes passa por cima, ou seja depois de 2h de exames no veterinário, descobrimos que o bicho estava só em estado de choque e com uma infecção que passaria ao fim da toma de corticoides. Ou seja, o meu aniversário não estava perdido. De tal forma, que à noite todos rumaram a minha casa para festejar o facto de eu ser uma miúda de 27 anos. Foi bom e saboroso e acho que não me importava de fazer anos todos os dias. Contudo teria de controlar melhor o festejo, porque novamente deitei-me tarde e no dia seguinte acordei antes do galo cantar para o dia que se avizinhava. Ida ao médico, festa de família da Sof’s, jantar de Natal com os amigos… Sim, isto aconteceu tudo no mesmo dia. O meu cérebro martelava, mas ás tantas começo a funcionar a um ritmo quase alucinante… até que adormeço a meio da tarde no sofá… Isto não me fez chegar tarde aos compromissos, por isso: “Ura Ura, tudo correu como previsto”. Ou então não, porque o Pedro repetiu algumas vezes:”terra chama Angélica”, durante o jantar.

Estamos portanto em sábado à noite, e eu a pensar, domingo de manha, recupero horas de sono. Foi então que a Andreia achou por bem informar que o comboio dela saía às 9h da manha. Eu estive quase a ter um ataque de stress traumático, por carência de sono. Contudo, consegui controlar os meus neurónios e dormi 5h e fui levar a Andreia ao comboio. Estava tão sedada, que agora pensando bem, devia parecer uma maluquinha… Domingo de manha, roupa de ir ao ginásio, cabelo mal amanhado e cedi aos meus pais que quiseram ir tomar o pequeno almoço fora… EU FUI ASSIM. Acho que ninguém me viu nesses trajos, porque não me recordo de questões do tipo: “Que se passa contigo? Que ar andrajoso é esse?”.

No domingo, para alem do pequeno-almoço, tive almoço de família, e ainda aniversário de uma tia. Estamos precisamente no 4º dia de festa. Tudo poderia ficar por aqui, não tivesse eu ido ontem ao médico, recebido noticias do tipo positivas: “Boa, o teu esforço está a funcionar”. À noite fomos cantar os parabéns via Skype ao Paulinho. Oyeah,5 dias de festa.

Hoje é dia 23, hoje é dia de preparação para a festa do ano, o Natal. Eu ainda estou a ressacar dos últimos 5 dias e já se avizinham mais 2?!?!?! Bolas, esta época do ano é fenomenal mas tão desgastante… Quem se queixa é Antoinette, a minha balança. Tem nome francês, por se tratar do meu único exemplar a gritar: “Olha a linha Angélica!”. Todos sabemos que os franceses se preocupam bastante com a aparência física. Ou então, têm todos um fantástico metabolismo, porque é difícil encontrar um francês gordo.

Em resumo, 7 dias de festa, com interrupção de um dia… se isto não obriga os teus 10% de cérebro a trabalhar a 100%… Então o que obriga?! Um exercício de betão armado?! Provavelmente… Mas tanta festa, também obriga o cérebro a funcionar, de contrario como me apresentaria eu nos festejos?! Do tipo classe zumbi?!

Pronto, a verdade é que 5 já passaram e agora vem aí o tão esperado Natal!!! Só de pensar na mesa do Natal babo, ou pelo menos, as minhas papilas gustativas rejubilam. Eu prometi que durante a época natalícia só traria receitas natalícias, e hoje contei a complicação dos meus últimos dias. Ou seja a minha receita de hoje é um nadinha mais complicada que o costume, mas vou tentar deixar de forma a perceberes bem.

Antes de passar a essa receita, quero deixar uma mensagem a todos os que vêm cá ler as minhas insanidades.

Desejo, do fundo do coração, que o frio que está na rua não chegue ao centro do teu Natal. Que sejas abençoado com a melhor companhia. Se estás sozinho, lembra-te sempre, Maria e José andavam sozinhos, barrigudos e com um burrinho, e na noite de natal, foram abençoados pelo espírito de todos os que se encontravam em redor.

Um Santo e Feliz Natal!

Deixo aqui uma foto de todos aqueles que de alguma maneira ou de outra, fizeram parte dos contos deste blog. Ou seja o meu postal de Natal.

IMG_1064

SERICAIA DE ELVAS (receita de restaunet)

O que vais precisar?

  • 450gr de açúcar;
  • 120gr de farinha sem fermento;
  • 10 ovos;
  • 600ml de leite;
  • 250ml de água;
  • Casca de meio limão;
  • Canela em pó q.b.

Como vais fazer?

  1. Faz uma calda, fervendo o açúcar com a água e a casca de limão. Tens de atingir o ponto de fio. Ou seja, quando levantas a colher de pau a calda cai em fio, sem interrupção;
  2. Num outro fervedor coloca a farinha e o leite, mistura com a varinha de contrario esta mistura fica grumosa. Leva ao lume até ficar bem consistente;
  3. Quando ambos os fervedores, atingirem os objectivos propostos, junta tudo num, mistura bem e volta a levar ao lume. e mexe, ate se tornar numa massa bem misturada. Tira do lume e deixa arrefecer;
  4. Divide as claras das gemas, e bate as claras em castelo.
  5. Bate as gemas e adiciona o preparado que estava a arrefecer. Provavelmente ainda está quente, por isso tens de ter cuidado a misturas as gemas com o preparado, para não cozer as gemas. Mistura tudo;
  6. Adiciona as claras à massa anterior e mexe bem, mas sem ser muito rápido, para a massa ficar arejada;
  7. Unta um prato grande em barro com manteiga, verte a massa para dentro e leva ao forno a 250º. Quando começar a ganhar cor, tapa com papel de alumínio e coze até começarem a abrir fissuras na massa;
  8. Retira, deixa arrefecer e ser.

Eu tive de fazer duas porque o meu prato não era grande o suficiente, e só tenho foto da pequena. Se contigo acontecer o mesmo, ou corta nas quantidades ou divide por várias travessas de barro.

InstagramCapture_07632751-7319-4139-b813-aa6ad2b93c63