Dama de honor parte final!

Este post traz um atraso descomunal…. de quem é a culpa?? Provavelmente minha. Dizem os meus sábios pais que: “quem vai à festa três dias não presta”. No meu caso já se foram 5 dias e eu ainda me sinto a ressacar.

Pois bem, aqui a dama de honor foi honrar compromissos, e no sábado passado ajudou a noiva a não tropeçar no vestido. Assim achava eu, que a minha primordial ocupação era manter a noiva de pé… ao que parece fui péssima nessa actividade, estava mais concentrada em chorar baba e ranho, do que me preocupar com o véu mal colocado. Até o Sr. Padre reparou nisso… Segundo ele era função das damas de honor ser um bocadinho de acólitas na missa, mas nem eu nem a Sofia tínhamos cabeça para tal. Acabei por levar um raspanete em plena missa, porque me esqueci de auxiliar o Padre na entrega do pão às crianças… Eu fui ajudar, mas já fui tarde… Ora Padre que é Padre não dá ponto sem nó, e aqui a menina acabou picada pela agulha. Terminada a celebração, eu e a Sofia fizemos o serviço final, que era distribuir pétalas e bolas de sabão pelos presentes, orientar as pessoas para a foto de família, e distribuir o lacinho dos carros. Acho que nesta parte merecia nota 20, ou como dizem os nossos irmão de língua, nota 10.

11210483_10205165821603465_2420043538983596130_n

Direccionamo-nos para o local do copo de água, eu e a Sofia descontraímos, aqui os noivos são Reis, a noiva não vai precisar de nós. Engano, a noiva tem uma mini bexiga e precisa de ajuda para ir à casinha. A brigada vermelhinha, foi lá e ajudou. Acabei de inventar este nome para mim e para a Sofia, visto a nossa indumentária ser vermelha intensa, assim como as cores do meu Benfica. Depois deste momento, a noiva entregou-se à festa e se bem me recordo, só voltamos a ser requisitadas no momento bouquet da noiva. Porém, isto aconteceu já quando a procissão estava de regresso à capela.

Regressemos ao momento, chegada ao copo de água. Eu fui verificar as mesas e percebi que estava numa mesa muito bem acompanhada. Depois reflecti e percebi… Então eu vim para a mesa do personal trainer do ginásio???. Oyeah, eu calhei na mesa do Duarte, o meu primo personal trainer, no ginásio onde eu finjo fazer exercício físico para me manter em forma… Todo o santo casamento ouvi aquela voz a descrever as horas de exercício, a que teria de ser submetida, depois de comer o que estava a comer… Rais parta o menino. Acabei por me desfazer na pista de dança, dei cabo da virilha e na segunda-feira quando fui ao ginásio estava lesionada, ou seja todo o exercício de pernas foi p’ró tecto… Queria eu mostrar que estava em forma, mas afinal ainda tenho muitas horas de passadeira para correr.

O casamento foi acontecendo, tudo muito bonito, a minha mesa estava meia morta, porque todos estavam envergonhados para dançar. A minha sorte, é que o Pedro sabe a namorada que tem e alinha. Acabamos muitas vezes sozinhos na pista de dança, outras vezes acabei eu sozinha… Não que eu estivesse alcoolizada, errado, eu sou alérgica. Somente porque estava contente, e sentia-me à vontade no meu vestido incrível!

As horas foram-se passando, o bolo da noiva foi cortado e chegou ao momento que eu achava temível para muitas solteiras, mas afinal é temível para muito solteiros. É o caso do Pedro, o Diogo e o João. Ora todas as solteiras são chamadas à pista, a brigada vermelhinha estava com tudo sob controle, para actuar no momento certo. Como ambas não somos casadas, aproveitamos e fomos também ao momento ramo da noiva. Neste momento, para alem de mim e da Sofia e muitas outras convidadas, estavam a Raquel, namorada do Diogo e Blogger no bookshellf e a Milai, namorada do João. Estamos nós ali, hiper descontraídas, conscientes que não nos vai cair a nós o ramos no colo e é então que eu olho para o lado… O Pedro, o Diogo e o João, estão os três com ar de pânico e stress a rezar para que a sua namorada (respectivamente) não seja bafejada pelo ramo da noiva. A Milai e a Raquel já tinham saído da roda, mas eu ainda lá estava. O Pedro estava horrorizado por eu ainda ali estar, foi então que a noiva cortou a minha fita, eu fui a correr ter com o Pedro e disse:”podes respirar, eu não sou a próxima”. O resultado foi o sorriso mais irresistível que o meu namorado me podia oferecer. Como se o euromilhões lhe tivesse saído. Enfim, um casamento de cada vez e com espaçamento suficiente, para ser possível voltar a rechear os bolsos. Como sempre, o momento ramo da noiva é mais para a noiva e a bafejada, que no caso foi a Sofia, que casa em Setembro. Pois então, e as outras solteirinhas? A noiva pensou, nisso e calhou a mim e à Sofia distribuir o ramo de chupas a cada “não-bafejada”. Honestamente, julgo que ficaram mais bem servidas. Que o digam os rapazes da minha mesa, que se apresaram a brindar com chupas, o facto de não serem os próximos a casar.

Em resumo, a festa foi lindíssima. As damas de honor foram incríveis, é isso que vou escrever no meu CV quando acrescentar:”Maio de 2015- Dama de honor”. Os convidados energéticos, é sem duvida uma festa a repetir. Não sei quem será a próxima, mas o que a gente quer é casamentos com muito kuduro, brasileirada, kizomba, o que for. O que se quer é festa.

Viva a festa.

11058655_10206440110146673_78832647105442742_n 11188258_10204016001548154_4480290594195825973_n

Hoje o Angie Clouds completa 2 anos, e também vai haver festa. Não do tipo casamento, mas do tipo aniversário. Ainda não está bem pensado. Contudo, vai acontecer. Dizem os meus pais que:” até ao S. João é com devoção”, por isso ainda vai a tempo.

Ah e hoje não trago receitas, ainda estou com o estômago estragado e sábado tenho mais festas… mas sobre essa conto noutra altura.

Vivam os noivos!

Estou a comer um gelado, made by Angie clouds, e a pensar no fim de semana que se avizinha… 2 casamentos e uma comunhão… Sim 2 casamentos, se não foi nisto que reparaste então volta a ler porque é sobre isso que vou contar.

2 casamentos… e tu pensas, Oh opta por um. Pois é, mas desta vez não dá. Por um lado tenho uma grande amiga da universidade, que viveu comigo e com quem tenho um grande à vontade, porque choramos juntas, roemos unhas juntas, ralhamos juntas, comemos juntas e quando as coisas apertaram, não nos separamos. Por outro lado tenho a minha companheira de básico e secundário, que foi criada comigo como uma irmã. Com quem tive pegas ridículas, com quem passei horas ao telefone a falar de amores e desamores. com quem tantas vezes dormi, que em vez de dormir nós falávamos feito duas relas. Enfim 2 pessoas que me dizem muito. Como ainda não inventaram para o mundo muggle o vira-tempo/ time-turner, tive de tomar uma decisão. O meu namorado conta uma história melodramática sobre as lágrimas vertidas, o ranho assoado… enfim um dos meus momentos sexy, eu conto que foi difícil tomar uma decisão mas teve de ser. Ou seja vou à cerimónia da minha amiga, peço uma marmita para o caminho (Se estiveres a ler isto, por favor avisa a tua mãe da marmita) e volto para ir ao casamento total da minha prima. A parte da festa é a parte que por norma todos gostam mas onde dificilmente se vê ou fala com os noivos, por isso, estou a fazer um post para estes noivos em especial. Por um lado porque pouco vou ver a minha prima na festa, por outro porque não vou poder ver a minha amiga e o futuro marido durante a festa.

Então aqui vai.

Eu desejo-vos aos 4, a cada par individualmente, tudo de incrível. Que se baseiem no amor entre cisnes, pinguins ou agapornis. Onde um vive com o outro e para o outro. Onde cada um tem a sua personalidade mas aprende a adaptar-se ao outro. Onde dormir no mesmo ninho é um privilégio e encontrar-se na vida é uma sorte. Quero, de vontade, que se amem e que desse amor saiam frutos, sejam eles concebidos na vossa intimidade, ou porque encontraram esse fruto durante a vossa jornada em família. Que nas vossas casas reine a teoria do, eu posso zangar-me contigo mas ninguém vem cá zangar-se contigo sem que eu te defenda com unhas e dentes. Que sigam a teoria dos casais de longa duração, espécies raras nos dias que correm, não se deitem zangados, mas sim conversados e resolvidos. De sábado em diante vocês estão a iniciar uma família, aprendam que a família é para a vida, pode haver exaltação, irritação, chateação, mas são família e as famílias aprendem a ultrapassar os problemas.

Assim, meus caros e bons amigos, família de sangue e família do coração, desejo-vos muita felicidade, um dia de festa de arromba, umas núpcias de querer mais e uma vida em comum com sabor a chocolate… são mais as pessoas que admiram o chocolate do que o mel…

Posto isto, viva os noivos!

Ps: Aproveito este post para dar os parabéns à minha prima Judite e ao futuro marido Ricardo que também casam este ano, calma tudo vai correr bem. Também vos desejo estes votos!

Por falar em mel e chocolate, o meu gelado acabou… Gelado faz-me lembrar sobremesa de casamentos. Hoje trouxe a receita do meu mais novo gelado, parece que estou a falar de um filho, mas é só um gelado. Aqui vai.

GELADO DE CHOCOLATE CROCANTE

O que vais precisar?

  • 1,5 tabele de chocolate de culinária (300g)
  • 2 pacotes de natas (400ml)
  • 400gr de beijinhos (iguais aos da receita do gelado de morango)
  • 2 colheres de sopa de licor de chocolate, ou vinho do porto
  • 3 colheres de sopa de nozes crocantes
  • Chocolate em pó q.b.

Como vais fazer?

  1. Tritura os chocolate em um bocados grosseiros e reserva;
  2. Bate as natas até ficarem bem espessas;
  3. Desfaz os beijinhos e adiciona à massa, como no gelado de morango, com auxilio de uma colher de pau;
  4. Adiciona o licor e continua a mexer;
  5. Adiciona o chocolate e as nozes e mexe tudo muito bem;
  6. Forra uma forma de bolo inglês com papel celofane, e coloca o gelado dentro;
  7. Polvilha a superfície com o chocolate em pó;
  8. Leva ao congelador para solidificar e serve.

Aproveita e não penses nos casamentos que se avizinham…

ImagemImagemImagem