Incubus em mim…

Em Português

Vejamos… tenho de me confessar. Nas ultimas 3 semanas tenho oferecido a alma de bandeja, ao Incubus. Não é de ânimo leve que faço esta afirmação. Fui possuída de uma forma quase pornográfico. Quase, porque não envolve corpos desnudados, contudo é pornográfico porque oferece ao palato um sensação de regozijo descontrolado.

Eu ainda não expliquei do que se trata, contudo só em pensar, quase cedo à tentação. Reza a história, que Incubus, é uma espécie demoníaca que consome a sua vitimas por meio sexual, depois do “serviço feito”, Incubus segue o seu rumo energizado e a vitima fica entregue à debilidade física. Incubus é do sexo masculina, contudo existe a Sucubus que por seu turno representa o sexo feminino. Eu vejo estas duas criaturas como violadores da alma humana. Não só através do sexo (luxuria) mas, através de qualquer outro pecado, considerado mortal, que nos possa fazer sucumbir aos nossos próprios deleites. Entenda-se por isto, que eu vejo Incubus, nas muitas caixas de chocolate que recebi esta época festiva. Eu fui forte, uma guerreira aguerrida, lutando diariamente contra o canto das sereias. Porem, belo dia esqueci-me dos tampões para o ouvidos… O que aconteceu?! Fui sugada pelo canto das sereias, possuída por Incubus e comi chocolate. Roçou, de forma nada impropria, um momento orgasmico. Contudo, foi altamente prazeroso. O problema, é que Eva quando provou o fruto proibido, não se contentou com um, e para piorar ofereceu a Adão. Ambos foram consumidos pela realidade nua e crua que é o mundo. Eu também, quando comi o primeiro chocolate, não me contentei com ele e comi mais, e ofereci ao Pedro… Foi a desgraça. Ao Pedro, em nada afecta a sua silhueta, já a mim, o mesmo não se pode dizer. 5 meses de dieta, quase, intensa e acabo por cometer uma infracção muito grave.

humpfff…

Hoje estou aqui para me confessar, para dizer que o meu nome é Angélica e estou a ser consumida pelos meandros do cacau. Que fui uma fraca e perdi a minha moeda de 5meses, porque não soube resistir aos encantos do Chocolate. Porém, ainda nada está perdido, depois de 3 quadrados de chocolate de leite da Nestlé, 3 trufas da guylian’s, vou voltar a lutar pelas moedas dos lutadores. Eu vou conseguir novos 5 meses sem chocolate chocolate, porque derivados não contam… Como o bolo de chocolate que fiz no outro dia, que é do tipo simplicíssimo, e vem num dos meus presentes de aniversário. Obrigada Patricia pelo Livro “Bolos”, de E. Bailey, Quimera editores.

Pensando bem… o mal foi feito quando a Patricia me ofereceu os livros… Bolas a minha própria prima está a desencaminhar esta pobre moça…

 English version

Sooo … I have to confess. In the last three weeks, I’ve offered my soul to Incubus. It is not in light mood that I say this. I was possessed in an almost pornographic manner. Almost, because it doesn’t involve naked people, yet it is pornographic because it offers the palate one sense of uncontrolled mirth.

I have not explained what it is about, but just thinking on it, I feel like beeing tempted. The story goes, that Incubus is a demonic species that consumes its victims by sexual means, after the “job done, Incubus follows its course energized and the victim is delivered to physical weakness. Incubus is the male gender, however there is a Sucubus which represents the female version of it. I see these two creatures as violators of the human soul. Not only through sex (lust) but through any other sin. By saying this, I see Incubus in the enourmous amount of chocolate boxes I received this hollidays. I was strong, a fierce warrior, fighting against the daily mermaid balad. However, one fine day I forgot earplugs What happened ?! I was sucked into the mermaid balad, posessed by Incubus and ate chocolate. It brushed,orgasmic moment, but not in an inappropriated way. However, it was highly enjoyable. The problem is that, when Eve tasted the forbidden fruit, one was not enough, and to make matters worse offered to Adam. Both were consumed by the harsh reality that is the world. I did the same. When I ate the first chocolate, I needed more and ate more, and offered to Peter … It was the disgrace. To Peter, it won’t affect his silhouette, as to me, the same can not be said. Five months of diet, almost, intense and I ended up committing a very serious offense.

humpfff

Today I am here to confess, to say that my name is Angelica and I am being consumed by cocoa intricacies. I was weak and lost my 5 month’s penny, because I was not able to resist the charms of the Chocolate. But still, nothing is lost. After 3 squares of milk chocolate Nestle, 3 truffles from guylian, I will return to fight back. I’ll get new five months penny without chocolate chocolate, because derivatives do not count … Like the chocolate cake I baked the other day, which is the most simple type, and is one of my birthday gifts. Thank you Patricia for the Book Cakes” by E. Bailey.

On second thought the harm was done when Patricia offered me the books Balls, my own cousin is mislead this poor girl

CHOCOLATE EM CAMADAS, adaptado de “Bolos”, E. Bailey, Quimera Editores

O que vais precisar?

Bolo

  • 225gr de Farinha;
  • 3 colheres de sopa de cacau em pó;
  • 2 colher de chá de fermento em pó;
  • 200gr de açúcar;
  • 2 colheres de chá de essencia de baunilha;
  • 180ml de leite;
  • 180ml de manteiga sem sal;
  • 2 ovos grandes;

Cobertura e recheio

  • 75gr de manteiga com sal amolecida;
  • 250gr de açucar em pó;
  • 75gr de chocolate em pó;
  • 1/2 colher de sopa de baunilha;
  • 4 colheres de sopa de leite morno;

Como vais fazer?!

  1. Pre aquece o forno em 180º;
  2. Mistura a farinha e o cacau e adiciona o açucar e a baunilha;
  3. Derrete a manteiga e adiciona à mistura de farinha;
  4. adiciona os ovos e o leite ao preparado e mistura muito bem;
  5. Prepara uma forma, untando-a e enfarinhando-a e coloca a massa do bolo;
  6. Leva ao forno até ficar cozido. Para não queimar, coloca uma folha de alumínio por cima;
  7. Retira o bolo, deixa arrefecer. Enquanto isso trata do recheio e cobertura;
  8. Para a cobertura, bate a manteiga com o açucar, quando estiver bem misturado, adiciona o cacau, a baunilha e o leite;
  9. Mistura tudo muito bem;
  10. Quando o bolo arrefecer, corta-o na horizontal, e barra da cobertura;
  11. Tapa e cobre todo o bolo com este preparado de cacau;

O resultado é um bolo humido e fofo!

1534919_10205726577261898_2038566572714629743_o

 

Ps: Obrigada Marcelo pelas Fotos.10896308_10205726577901914_1723823112468233001_o

Hábito com sabor a pêra e noz

Estou sentada no hospital e estou a ler as informações que passam no televisor de aviso de vez, e eis que diz qualquer coisa como, a fruta é um elemento muito importante na nossa alimentação. O meu cérebro vagueia e faz-me lembrar o meu ultimo bolo de fruta… devo confessar que não há melhor forma de comer fruta do que quando ela está integrada num bolo… pois bem o meu ultimo bolo de fruta foi de pêra e noz. Este bolo remete-me para um vício que adquiri e é por isso que hoje escrevo. Para contar esse meu vício.

Aos Domingos de manhã, depois de sair da missa com os meus pais, nós temos o hábito de ir tomar café em família, por norma somos só 4 mas ás vezes a minha tia Dália e as filhas vêm e noutras vezes vem a Meninha, resumindo à Domingos que somos 8 à mesa… era uma festa no café que costumávamos frequentar… e já sabíamos que podia não haver missa, mas café havia de certeza… isto até parece anti-Cristo, mas havia um padre na minha freguesia que dizia que ás vezes era melhor conversar e socializar do que ir à missa. Tudo corria bem até ao dia que os donos do café decidiram fecha-lo ao domingo de manhã, para mim foi partir-me o coração, tantos anos de café domingueiro e sem aviso prévio tiraram-me aquele hábito e prazer. Ainda demoramos algum tempo até encontrar um novo pouso, e foi então que encontramos uma pastelaria à beira mar, juntava o útil ao agradável, um sitio onde podíamos socializar e ao mesmo tempo adquirir pão para o dia de preguiça domingueira. Contudo, e como podem ver pela minha descrição de vida, eu sou uma pessoa de prazeres, sejam eles comestíveis ou simplesmente intelectuais, e foi então que num dos Domingos decidi experimentar o pedido da Marta, queque de pêra e noz. A sensação de trincar e saborear o bolo é tao boa, que enquanto escrevo, aqui sentada no banco da sala de espera do hospital de Gaia, sou  reportada para a pastelaria enquanto como calmamente o bolinho. Realmente, existem invenções divinas. Enfim, depois daquele momento de degustação, deixei de me queixar do facto do café ter fechado ao domingo de manhã e passei a esperar pacificamente pelo momento em que chegaria à pastelaria e provaria o meu pedaço de céu.

Porem, todos sabemos que as mulheres sofrem de desejos, ou porque estão grávidas, ou porque estão a entrar em semana T.P.M. ou então simplesmente porque são mulheres e têm desejos e foi num desses dias que eu acordei e pensei, é hoje. Tenho vontade, necessidade, saudade, eu sei la de comer o meu bolo de pêra e noz. Depois pensei, Angélica Angélica, ganha juízo que depois acumula tudo na anca, já chega perderes a cabeça ao domingo e foi então que aquela voz que a certa altura diz a Jesus: ‘então se és filho de Deus lança-te deste precipício’ (não necessariamente com estas palavras), me disse: ‘Angélica, o bolo tem frutos naturais e secos, um é alimento para o corpo e outro para o cérebro’…. Eu poderia ter sido forte, poderia ter sido astuta e superior…. Mas não, eu fui fraca e deixei-me ir até à dispensa, buscar nozes, açúcar e farinha e dirigi-me para a cozinha, à gaveta das facas e comecei a cortar a pêra… que vergonha… fui uma fraca uma vendida aos desejos e à voz do mal…

Depois de cair em mim, quando o mal estava feito, eis que o bolo estava pronto à minha frente e já sem uma fatia… e já haviam fotos do resultado final…

E hoje aqui sentada a ler estes avisos para toda a comunidade, eis que percebo que o que fiz não foi assim tão errado, afinal está do lado dos conhecimentos científicos e pela teoria de galileu, está também do lado do divino, por isso hoje decidi revelar este meu momento de perdição, que afinal nada tinha de preocupante e deixo a minha versão de bolo de pêra e noz.

Bolo de pêra e noz

O que vais precisar?

  • 4 ovos
  • 200g de açúcar
  • 150g de farinha
  • 2 pêras cortadas em pedaços pequenos mas grosseiros
  • 100gr de miolo de noz, também cortado grosseiramente

Como vais fazer?

1° liga o forno a 100° e untar uma forma de bolo com manteiga;

2° divide as claras das gemas e bate as claras em castelo e reserva;

3° bate as gemas com o açúcar e com auxilio de uma colher de pau adiciona a pera e as nozes;

4° adiciona agora as claras e novamente com a colher de pau mistura bem, não mistures freneticamente senão depois o bolo fica passado.

5° adiciona agora a farinha, e novamente com auxilio da colher de pau mexe tudo, novamente. Faz isto com muita paciência senão como diz o sr. Do preço certo, já foste.

6° leva ao forno e vai testando a cozedura com o teste do palito, se sair com massa ainda demora.

7° desenforma e serve.

Imagem

Hábito com sabor a pera e noz

Estou sentada no hospital e estou a ler as informações que passam no televisor de aviso de vez, e eis que diz qualquer coisa como, a fruta é um elemento muito importante na nossa alimentação. O meu cérebro vagueia e faz-me lembrar o meu ultimo bolo de fruta… devo confessar que não há melhor forma de comer fruta do que quando ela está integrada num bolo… pois bem o meu ultimo bolo de fruta foi de pera e noz. Este bolo remete-me para um vício que adquiri e é por isso que hoje escrevo. Para contar esse meu vício.

Aos Domingos de manhã, depois de sair da missa com os meus pais, nós temos o hábito de ir tomar café em família, por norma somos só 4 mas ás vezes a minha tia Dália e as filhas vêm e noutras vezes vem a Meninha, resumindo à Domingos que somos 8 à mesa… era uma festa no café que costumávamos frequentar… e já sabíamos que podia não haver missa, mas café havia de certeza… isto até parece anti-Cristo, mas havia um padre na minha freguesia que dizia que ás vezes era melhor conversar e socializar do que ir à missa. Tudo corria bem até ao dia que os donos do café decidiram fecha-lo ao domingo de manhã, para mim foi partir-me o coração, tantos anos de café domingueiro e sem aviso prévio tiraram-me aquele hábito e prazer. Ainda demoramos algum tempo até encontrar um novo pouso, e foi então que encontramos uma pastelaria à beira mar, juntava o útil ao agradável, um sitio onde podíamos socializar e ao mesmo tempo adquirir pão para o dia de preguiça domingueira. Contudo, e como podem ver pela minha descrição de vida, eu sou uma pessoa de prazeres, sejam eles comestíveis ou simplesmente intelectuais, e foi então que num dos Domingos decidi experimentar o pedido da Marta, queque de pera e noz. A sensação de trincar e saborear o bolo é tao boa, que enquanto escrevo, aqui sentada no banco da sala de espera do hospital de Gaia, sou  reportada para a pastelaria enquanto como calmamente o bolinho. Realmente, existem invenções divinas. Enfim, depois daquele momento de degustação, deixei de me queixar do facto do café ter fechado ao domingo de manhã e passei a esperar pacificamente pelo momento em que chegaria à pastelaria e provaria o meu pedaço de céu.

Porem, todos sabemos que as mulheres sofrem de desejos, ou porque estão grávidas, ou porque estão a entrar em semana T.P.M. ou então simplesmente porque são mulheres e têm desejos e foi num desses dias que eu acordei e pensei, é hoje. Tenho vontade, necessidade, saudade, eu sei la de comer o meu bolo de pera e noz. Depois pensei, Angélica Angélica, ganha juízo que depois acumula tudo na anca, já chega perderes a cabeça ao domingo e foi então que aquela voz que a certa altura diz a Jesus: ‘então se és filho de Deus lança-te deste precipício’ (não necessariamente com estas palavras), me disse: ‘Angélica, o bolo tem frutos naturais e secos, um é alimento para o corpo e outro para o cérebro’…. Eu poderia ter sido forte, poderia ter sido astuta e superior…. Mas não, eu fui fraca e deixei-me ir até à dispensa, buscar nozes, açúcar e farinha e dirigi-me para a cozinha, à gaveta das facas e comecei a cortar a pera… que vergonha… fui uma fraca uma vendida aos desejos e à voz do mal…

Depois de cair em mim, quando o mal estava feito, eis que o bolo estava pronto à minha frente e já sem uma fatia… e já haviam fotos do resultado final…

E hoje aqui sentada a ler estes avisos para toda a comunidade, eis que percebo que o que fiz não foi assim tao errado, afinal está do lado dos conhecimentos científicos e pela teoria de galileu, está também do lado do divino, por isso hoje decidi revelar este meu momento de perdição, que afinal nada tinha de preocupante e deixo a minha versão de bolo de pera e noz.

Bolo de pera e noz

O que vais precisar?

  • 4 ovos
  • 200g de açúcar
  • 150g de farinha
  • 2 peras cortadas em pedaços pequenos mas grosseiros
  • 100gr de miolo de noz, também cortado grosseiramente

Como vais fazer?

1° liga o forno a 100° e untar uma forma de bolo com manteiga;

2° divide as claras das gemas e bate as claras em castelo e reserva;

3° bate as gemas com o açúcar e com auxilio de uma colher de pau adiciona a pera e as nozes;

4° adiciona agora as claras e novamente com a colher de pau mistura bem, não mistures freneticamente senão depois o bolo fica passado.

5° adiciona agora a farinha, e novamente com auxilio da colher de pau mexe tudo, novamente. Faz isto com muita paciência senão como diz o sr. Do preço certo, já foste.

6° leva ao forno e vai testando a cozedura com o teste do palito, se sair com massa ainda demora.

7° desenforma e serve.

Imagem