Bagels e Dama e o Vagabundo…

Versão Portuguesa

O meu filme preferido da Disney é a Dama e o Vagabundo. Honestamente não sei o que gosto mais no filme, se o facto de ser uma historia sobre cães, se o facto de os cães falarem ou se o facto de a família da Lady a tratar como um elemento da família. Por exemplo, oferecendo à Lady um bagel! Era aqui que eu queria chegar, aos bagels!

São bons?! São maus?! São assim-assim?!

Vejamos, não sei… os meus sabem-me bem, agora os verdadeiros? Aqueles que deixam qualquer americanos a babar?! Não sei, não sei mesmo… nunca comi um bagel de verdade. No entanto, a imagem da rosquinha, molhada no café, no filme da Dama e o Vagabundo, faz-me ficar com água na boca…

Eu não vou dizer, que estou desde 1990/1991 a babar por um bagel. Não posso fazer uma afirmação dessas. Posso no entanto afirmar, que sempre que a palavra bagel aparece, associo ao filme. Sempre que num outro filme vejo comer bagels, vem-me à memória a imagem do “Querido” a oferecer bagel, molhado em café à Lady. Eu não sei se é o gesto, ou o facto de haver comida à mistura, não sei… às vezes acho que tenho um desvio qualquer no cerebro, que me faz pensar tantas vezes em comida. A verdade, é que quando Bagel aparece, eu não penso:”Oh que saudades, das minhas tardes a ver a Dama e o Vagabundo”, pelo contrário eu penso:”que bom seria, um bagel molhado em café… a cadelinha adorou e os donos dela são muito felizes ao pequeno almoço”. Incrível, eu sei.

Pois bem, há uns tempos, num dos meus muitos livro de receitas, aparecia lá a receita dos bagels. Ora eu, seguida pelo pensamento da felicidade, decidi experimentar fazer os bagels. Segui a receita à risca. Fiz tudo, no entanto a massa não levedou. Julgo também que escolhi o pior dia para os fazer, a paciência não me estava a assistir… Ou seja, depois de todo o processo o resultado foi deplorável. De verdade, horrível. Quentes eram bons, até porque eu coloquei raspas de chocolate por cima, e claro, com chocolate tudo marcha. Agora frios?? Não encontro palavras para descrever… A verdade é que extraí a vontade do bagels do meu sistema.

No entanto, e recuando ao post anterior, o ultimo livro que li fala muito em pão e até traz receitas no fim. Pois bem, imagina só o que foi que ela decidiu cozinhar um dia?! Se pensaste em bagels, acertaste, foi precisamente isso, bagels. Novamente, a Lady a comer o seu bagel molhado em café. Ou seja, o que foi que eu fiz?! Exactamente, bagels. Desta vez ficaram, fofos e muito muito saborosos. Mas não meti chocolate, meti queijo e chouriço.

Acho que vou tornar esta receita de bagels um elemento fulcral pelo menos uma vez por mês. Nunca se sabe se não vou ter um dinner com café de saco e bagels!

English Version

My favorite Disney movie is Lady and the Tramp. Honestly, don’t know what I like the most in the movie, the fact that it is a story about dogs, or the fact that dogs talk or the fact that the family of Lady treats her as a family member. For example, providing Lady a bagel! It was here that I wanted to get, the bagels!

Are bagels good?! Are they bad ?! Are they so-so ?!

Let’s see, don’t know … mine taste good, but the real ones? Those who leave any American drooling ?! I don’t know… I have never eaten a real bagel. However, the image of the “donut”, wet in the coffee, at the movie, makes me stay with mouthwatering…

I will not say that I am since 1990/1991 drooling  for a bagel. I can’t make such sentence. I can however say, that whenever the bagel word appears, I associate it with the movie. When in an other movie I see eating bagels, to my mind comes the image of “Dear” offering a bagel, wet in coffee to Lady. I do not know if it’s the gesture, or the fact that there’s food in the mix, I do not know … sometimes I think I have a deviation whatsoever in the brain, which makes me think so often about food. The truth is that when a Bagel appears, I do not think, “Oh I miss, my afternoons watching Lady and the Tramp”, on the contrary I think, “what a taste would be a bagel wet in coffee … the puppy loved it and the owners are very happy at breakfast. ” Incredible, I know.

Well, a while ago, on one of my many recipe book, I found a recipe of bagels. So I, followed by the thought of happiness, decided to try making bagels. I followed the recipe. I did everything, however didn’t left the dough time enough to grow. I also believe that I picked the worst day to do bagels. That is, after all the process the result was deplorable. Really, horrible. Hot was good, because I put chocolate chips on top, of course, with chocolate everything is eatable. Now cold?? I can’t find words to describe it … The truth is, that I took the bagels out of my system.

However, and going back to my previous post, the last book I read talks a lot about bread and even brings revenue at the end. Well, just imagine what it was that she decided to cook one day?! If you thought of bagels, you hit, it was just that, bagels. Again, Lady eating her bagel soaked in coffee. That is, what have I done?! Exactly, bagels. This time were, cute and very very tasty. But this time, no chocolate. Cheese and chorizo!!! Hmmmm.

I think I’ll make this recipe bagels a key element at least once a month. One never knows when opening a dinner with bagels and coffee, is a solution!

BAGELS (receita retirada de Pão, mel e amor de Jenny Colgan)

O que vais precisar?

  • 4 chávenas de farinha para pão;
  • 1 colher de sopa de açúcar;
  • 1,5 colher de chá de sal;
  • 1 colher de sopa de óleo vegetal;
  • 1 pacote de fermento de padeiro (dos pequeninos);
  • 1+1/4 chávena de água tépida;

Como vais fazer?

  1. Desfaz os ingredientes todos na água, menos a farinha;
  2. numa bacia coloca a farinha, faz um buraco no meio, e verte a mistura anterior. Mistura tudo muito bem, até fazer uma massa. Amassa durante uns 10 minutos.
  3. Deixa repousar num local quente por 1h. Deixa crescer;
  4. Ao fim deste tempo divide em bocadinhos, e enrola a massa e depois liga-a e forma uma argolinhas, como neste video https://www.youtube.com/watch?v=uRBkgTnPNPk
  5. Repete isto para toda a massa e deixa repousar por mais 20 minutos.
  6. Ao fim deste tempo, liga o forno nos 150º e coloca uma panela de agua ao lume para ferver;
  7. quando a água estiver a ferver, começa por colocar os bagels na água, 1 minuto, para insuflarem e cozinharem. Depois retira e coloca num tabuleiro de forno. Repete isto para todos;
  8. Agora colocas sobre os bagels os que quiseres, eu coloquei queijo nuns e chouriço noutros, podes por sementes de sésamo;
  9. Depois de todos os bagels já terem sido abençoados por queijo/chouriço/sementes de sésamo, leva-os ao forno por 10 minutos;
  10. Deixa arrefecer e come-os com vontade!

WP_20160106_20_20_00_ProWP_20160106_20_20_23_Pro (2) (1)

 

Anúncios

Pão com chouriço que agrada

Vejamos, eu já aqui falei dos queques de chouriço. Devo confessar que rapidamente desapareceram… mas o Rui não ficou convencido… é então que inicia a minha debandada.

Quando eu era miúda achava sempre que a minha mãe se esforçava demais para agradar, entretanto cresci e a Marta também se começou a esforçar para agradar. Eu que sou engenheira de profissão, ou seja estudei no meio de homens, trabalho no meio de homens e ainda sou a menina do papá, percebi que quando eles estão satisfeitos nós até parecemos mais giras e Sejamos honestos, uns com os outros toda a mulher gosta de um piropo desde que não seja porco.

Enfim, as mulheres são um bicho incrível porque, como eu sempre ouvi dizer, têm a manha de sete raposas, e como eu também sempre ouvi dizer cada raposa tem a manha de sete mulheres. Em suma, nós temos prazer em agradar porque sabemos que vamos obter alguma coisa. Não me interpretem mal, eu não estou a dizer que a mulher deve ser capacho e muito menos estou a dizer que todos os homens sabem aproveitar o facto de ter uma mulher que agrada. Pelo contrário, estou a tentar demonstrar que a mulher durante muito tempo foi subestimada quando na verdade era o motor para que tudo funcionasse. No outro dia estava a ler uma antiga edição de uma revista para mulheres que dizia qualquer coisa como, mantenha o seu homem sempre feliz. Há primeira vista isto é um ultraje, até porque acabei por ler outras frases que azedaram o meu fígado. Contudo, esta frase tem muito que se lhe diga porque a realidade é a seguinte, e é baseada na teoria dos favores em cadeia, quando eu faço o meu companheiro feliz, ele faz-me a mim feliz ou seja não há caos instalado. Mais uma vez, quero referir que toda a teoria tem um corolário e toda a regra excepção. Porem, é esta a forma de conseguir a harmonia nas relações. Eu tenho para mim que tudo o que aqui disse serve não só para casais como por exemplo para relações entre amigos.

 Voltando então ao tema do agradar. Eu estava a contar que vi a minha mãe e a Marta sempre a querer agradar e a minha reacção a isto era qualquer coisa como a simulação de um vómito, em compensação a reacção destas mulheres era, tu um dia vais lá chegar e vais perceber. O tempo foi passando, e eu sem me aperceber que estava a tentar agradar os que me rodeavam. Pediam eu fazia, ligavam eu ia. Até que um dia fui apanhada e apaixonei-me por um dos meus melhores amigos e então compreendi o que a Marta e a minha mãe sempre me disseram, nós temos prazer em agradar, não só porque vem aquela parte que falei, mas também porque a recepção da outra parte é tão quentinha.  Sim eu confesso, agora quem simula o vómito é a Andreia e sim eu sei que sou como as outras, mas eu não quero saber. Toda esta história do querer agradar vem ao encontro dos queques com chouriço que o Rui não gostou o que me fez aprimorar a receita e fez-me chegar aos pães de chouriço. No outro dia fiz uma versão e o Rui disse que estava bom mas eu devia fazer qualquer coisa diferente e então cheguei à minha actual receita de pão com chouriço. Aqui fica a minha receita para agradar, que pelo que percebi agradou todos menos o meu pai que não gosta de pão com chouriço… tenho de inventar pão com queijo para agradar o outro homem da minha vida.

Ps: eu assumo, eu amoleci…

PÃO COM CHOURIÇO

O que vais precisar?

  • 750gr de Farinha
  • 100gr de creme vegetal ou vaqueiro
  • 25gr de fermento de padeiro
  • 250ml de água quente
  • 2 Colheres de café de sal grosso
  • 250gr de chouriço fatiado

Como vais fazer?

1º Numa bacia coloca 200gr de farinha e faz uma muralha deixando o meio sem nada

2º Mistura o fermento, a água quente e o vaqueiro e o sal tudo num recipiente e deixa desfazer  tudo, até ficar uma água grossa. Se for preciso leva um pouquinho ao lume.

3º Adiciona o preparado anterior à bacia e com uma colher de pau mexe tudo. Vai ficar uma massa líquida mas é aqui que vai adicionar gradualmente a restante farinha. Nota que a certa altura a colher de pau deve ser posta de parte e tens de mexer com as mãos, mistura muito bem e se achares que precisas de mais farinha adicionar. A Massa final fica bem leve e bem elástica.

4º Deixa repousar/levedar por uma hora, ela cresce para o dobro se for preciso deixa mais um pouco.

5º Depois de levedada, liga o forno a 100º e estica a massa, espalha o chouriço e enrola. Faz um rolo da massa com o chouriço pelo meio.

6º Unta um tabuleiro com azeite e corta o rolo de massa em bocados iguais e dá a forma de uma bolinha e coloca no tabuleiro.

7º Leva ao forno até ganhar um tom castanho claro. Para saber se ficou cozida e fofa pelo meio bate no fundo do pão e soar oco, provavelmente tá fofo dentro. Vi isto no britain’s best bakery.

Imagem

8º Espero sinceramente que te agrade, ou não fosse esta a minha nova actividade.

Imagem

 

 

Inicio do ano, nova receita com sabor a chouriço

Sinto que o chouriço me persegue…. Ok isto soa mal, o melhor é explicar.

Em maio passado, depois de uma festa em família, acabamos, eu e o Rui, por ir dar os parabéns a um amigo por ter terminado o curso, já não tinha fome nem vontade de comer, no entanto ele tinha uns pães de chouriço que me pareceram qualquer coisa de especial, alem disso o Rui estava com tanta satisfação a come-los que acabei por provar…. Valha-nos nossa Senhora d’Agrela mais a filha dela, que pão de chouriço tão tão saboroso. Eu nem sou do género viciada, alias nem ligava nenhuma, mas aqueles eram tao bons… viemos embora e confesso que falei do pão de chouriço toda a viagem para casa, o Rui já não me podia ouvir… Um mês depois foi S. Pedro cá em casa e quando convidei o Rui para vir à sardinhada da minha mãe falei-lhe que era de valor haver pão de chouriço, este meu namorado muito solícito ligou para o amigo para saber se podíamos adquirir esses pãezinhos, ele disse que o melhor era a broa de chouriço, em resumo, deslocamo-nos 15 km para ir buscar as ditas broas… quando chegamos cá a casa a minha mãe estava possessa…. Mas experimentou a broa e ficou logo de boa disposição… desta vez invocando S. Pedro, que broa…. Só de me estar a lembrar, já estou a ficar com água na boca…. Era muito boa e segundo o Rui durou muito pouco. Uns meses mais à frente lembro-me do dia que o nosso amigo do pão de chouriço, mais conhecido por Nelson, nos convidou para a inauguração do espaço dele…. A minha pergunta foi, vai ter pão de chouriço??? O Rui achou que era possível… mas não foi possível, não havia qualquer tipo de pão de chouriço… Bolas.

Desde esses dias que ando a experimentar os pães de chouriço das padarias onde a minha mãe vai, sim porque andar 15km só para comprar pão de chouriço ainda que seja muito bom, não é concebível, mas nada me faz lembrar aquele pão de chouriço.

Chegamos então a dezembro, mais precisamente dia 30, quando o Diogo partilhou comigo e com o Rui que a avó dele faz um pão de chouriço indescritível… eu fiquei sem palavras, quer dizer todos os dias do ano, praticamente, nós estamos contigo, somos família e tu não contas que a tua avó é uma expert de pão de chouriço??? E nunquinha nos deste a provar?  Confesso que fiquei deveras desagradada…. Mas é o Diogo e ele prometeu que quando a avó voltasse a fazer que ele nos trazia para experimentarmos …. Alem de tudo isto, não queria entrar em 2014 triste por causa de pão com chouriço.

O ano passou e estamos no dia 1 de janeiro, quando as minhas primas fãs da bimby trouxeram um livro e estavam a procurar receitas… e estavam a falar da sua nova amiga…. Eu decidi dar uma vista de olhos ao livro e confesso que achei bastante interessante… e encontrei os cupcakes salgados…. Achei a receita interessante mas não pensei muito no assunto…

Até esta noite… esta noite sonhei com a minha versão de pão de chouriço… basear-me na receita da bimby e colocar chouriço…. Raios eu sonhei com cupcakes isto não está a ficar nada saudável… daqui vem a sensação de perseguição por parte do chouriço…

Como não sou egoísta, vou partilhar contigo a minha versão.

Queques de chouriço

O que vais precisar?

  • 1 chouriço ralado, escolhe daqueles mais imensos
  • 4 ovos
  • 1colher de azeite
  • 250gr de farinha
  • 2 colheres de café de fermento

Como fazer?

0° liga o forno a 100°

1° Bates os ovos com o azeite;

2° Adicionais o chouriço e com a batedeira mexes tudo muito bem.

3° mistura a farinha com o fermento num recipiente à parte e adicionas ao preparado anterior. A massa vai ficar grossa, mas é essa a intenção.

4° distribui a massa por papelotes de queques e leva ao forno. A cozedura deve levar cerca de 20m.

Retira do forno e serve.

Imagem

 Imagem

 

Bom Ano, cheio de alegria, paz, compreensão e claro barriguinha cheia!!!