Na pérola do Atlântico, com bolo do caco

Qual é a melhor parte do Verão? Vá, tenta lá adivinhar…. Eu ajudo. FÉRIAS!

Exactamente, a melhor parte do verão, são as férias. Do meu ponto de vista, umas boas férias incluem, uma boa companhia, um bom pouso e coisas novas para ver e saborear. Ora aqui a sortuda do pedaço, companhia muito boa já tem, faltava tudo resto. Foi então, que num volte face, conseguiu o pacote completo, e meteu-se num avião a caminho da pérola do atlântico.

Primeiro momento de estranheza. Apanhas um avião em Portugal, voas para Portugal e em momento nenhum te perguntam: “Quer um café?”. Muito pelo contrário a questão feita é:”Voulez-vous un café?”. IUP, só francês. Como a duração da viagem entre o Porto e o Jardim, é igual à duração da viagem entre o Porto e Paris, eu questionei-me se teria apanhado o voo certo.

Ao que parece, sim. Isto porque, quando olhei pela pequena janela do avião e vi uma asa fora da pista, e que parecia que rasgava o mar, entendi que não estava em Paris.

Dizem os entendidos no assunto, que a Madeira é um jardim. Não estão em nada equivocados, mas mais do que ser um jardim, é um bosque encantado. Não houve nada mais estranho, do que andar a passear a Ilha, e às tantas, entre crisântemos e hortênsias, aparecem nuvens, brancas e fofinhas, como as dos desenhos animados. Nós ali, dentro de um carro, numa estrada onde mal cabiam dois carros, com um GPS que nunca nos deixou ficar mal e que sem aviso prévio mostra um aviso de erro… “Estou perdido” era o que o GPS queria dizer… E agora? Eu passei a informação ao Pedro, que mais uma vez, descansado da vida responde:” Relaxa, à pouco o GPS falava em 8 km, ainda só fizemos 2, são mais 6 por aqui”. Honestamente, acho que ele está a começar a ficar com o síndrome de Arsénio (o meu pai), que tem o depósito prestes a acender a luz, e continua a insistir que ainda dá para mais 100km… Enfim, o Pedro tinha razão mais 6 km pelo caminho e chegamos a um novo lugar. Para melhorar, o GPS encontrou-se!

Outra das sensação incríveis que se tem, é de que num único dia, conseguimos apanhar todas as estações do ano. Não no mesmo sitio, é certo, mas andando de um lado para o outro. Ora chove aqui, andam-se 10km, já não chove mas faz frio, mais 10km, já não faz frio está calor…. Enfim, se numa ilha com uma área de 801km2 não há consenso entre o tempo, porque haveria de haver consenso com o continente?

Outro dos momentos estranhos, é o facto de nós sermos portugueses de gema, eles serem portugueses e no entanto, dificilmente se dirigiam a nós em português. 2 opções, ou nós temos cara de espanhóis/ingleses, ou então os madeirenses querem tanto agradar que se esquecem da própria origem.

Aqui está outra coisa, a vontade que têm de agradar. Não vou dizer no Funchal, porque é muito turístico e chegam a abusar do deslumbre dos turistas, mas vou falar dos outros sítios em que estivemos. As pessoas são realmente atenciosas e simpáticas e combinam em muito com a paisagem. Até porque, são precisamente essas pessoas que tornam a paisagem tão soberba. Foram varias as pessoas, que vimos a tratar das cantarias em flor. Se no continente as cantarias são em pedra, ali não, ali são a continuação das levadas. São arbustos em flor que encontramos aos longo das estradas. Realmente, a madeira é bucólica e cheia de beleza natural.

Existem realmente experiências que são para ser vividas, lugares para ser conhecidos. Eu tive por 5 dias, a experiência de visitar um sitio, lindo, viver memorias incríveis e mais importante, ter uma companhia como sempre à altura do desafio. Se quero lá voltar? claro que sim, mas só depois de conhecer outros destinos da minha lista de viagens. Alem disso, tenho receio de voltar a viver a desilusão da casinha das bonecas na Disney. A primeira vez, é fenomenal, a segunda são bonecas a cantar e na terceira já só queres que aquele carrinho corra para o fim.

IMG_1892

A receita que trago é Bolo do Caco. Nós comemos muito, com manteiga de alho e eu achei por bem aprender a fazer. Nunca se sabe, quando vou necessitar de impressionar alguém com cozinhados típicos portugueses.

BOLO DO CACO (para 4)

O que vais precisar?

  • 350gr de farinha + extra, caso a massa fique muito liquida;
  • 250gr de batata doce descascada, cozida e a água onde foi cozida;
  • 1 solher de café de sal marinho;
  • 8gr de fermento de padeiro;

Como vais fazer?

Vou deixar aqui o video, que me ensinou a fazer.

Ele fala em 15minutos para levedar, eu deixei 4h. As receitas originais falam em 2/3h, podendo ficar a noite toda.

https://youtu.be/Ra5Jy_q-244

WP_20150822_19_17_17_Pro

WP_20150822_19_17_22_Pro WP_20150822_19_17_25_Pro

Anúncios

2 pensamentos sobre “Na pérola do Atlântico, com bolo do caco

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s