O que vem a seguir?!

Versão Portuguesa

Sabes aquela sensação de que o tempo passou rápido demais???

Eu tenho vivido isso nos últimos tempos.

Eu tenho o mesmo grupo de amigo há alguns anos, julgo que desde os meus 15 anos, para ser mais precisa. Uns vão e outros ficam, mas mais um menos um, os anos passam e acabamos sempre, com pelo menos um jantar anual.

Acontece que com os tempos as conversas mudam, se quando tínhamos 15 anos a conversa era sobre para onde íamos a seguir. Hoje é, então qual é o próximo passo. 12 Anos depois, a nossa preocupação e receio é dar o próximo passo. Seja ele qual for, trocar de emprego, casar, ter filhos.. Enfim atuar como adultos.

É muito estranho dar esse passo, parece que a garganta seca, as pernas tremem e o calor sobe às bochechas… Quase que faz lembrar a primeira vez que beijamos aquela pessoa que nos enche o olho. Só que neste caso, depois de dar o passo não à volta a dar.

O que eu quero dizer com isto, é que tenho dado conta que a minha companheira de infância, aquela confidente com quem tantas vezes passei horas ao telefone, está a poucas semana de dar à luz o seu primeiro bebé. Toda a nossa infância e adolescência vivemos como irmãs, e assim sem contar, ela casa e engravida e tudo com a minha idade. A sensação de pânico e estranheza atravessa-me nestes momentos. A minha prima/amiga vai ter um bebé com 27 anos.

Desde que eu e o Pedro nos tornamos namorados uma vez por outra, e assim em momentos de relax total, acabamos por falar em coisas do futuro. Por norma, como mulher, sofro daquelas antecipações do tipo oh já temos quase 30. Contudo o Pedro diz, e eu fui aprendendo, que a idade são números e somente números e depois faz o raciocínio a frio. Do tipo, agora imagina, com a nossa vida atual, termos um filho. Neste momento o meu pânico desvanece. Eu assento ideias e percebo que ainda é demasiado cedo para mim. Ok, acredito piamente que não seja para o meu útero, mas é para mim. Eu quero realmente o pacote todo, mas não já. Não com tanta coisa ainda por fazer.

Nestas alturas, e ainda com o raciocínio a frio eu percebo que realmente a idade são números, o que conta é aquilo que o teu cérebro te mostra como sendo o certo no agora, não o choro fofinho do teu útero, de cada vez que pegas num bebé.

A Regina vai ter uma Maria não com 27 anos, mas quando o cérebro e o útero se uniram para tornar possível este acontecimento. Eu estou felicíssima com a chegada deste novo elemento. Este bebé, muitas vezes foi tema de conversas nossas, quando ainda nenhuma das duas sabia o que o futuro reservava. Espero que ela seja como a mãe, uma criança inocente e feliz, uma adolescente de olhos gigantes e uma mulher sabedora do que quer na vida.

Quanto a mim, espero ser uma boa prima para a Maria como fui para a Regina. E quando o meu útero e cérebro deixarem de andar de cadeias às avessas, e o meu momento de constituir família chegar, espero contar com a Maria para ir fazer baby-sitting lá em casa para poder tirar uma noite de folga!

Hoje não trago uma receita, mas trago fotos do bolo que decorei com ajuda da minha mãe para o chá de bebé da Maria.

English Version

You know that feeling that time passed too fast ?

I have experienced it recently.

I have the same group of friends for a few years, I think that since I was 15 years old, to be precise. Some go and others stay, but years pass by, and at least once a year we have dinner together..

It turns out that with year, conversations change, when we had 15 years the talk was about where we were going next. Today is, abot next step. 12 years later, our concern and fear is taking the next step. Whatever it is, change jobs, get married, have children .. finally act like adults.

It’s very strange to take this step, throat dries, legs tremble and heat rises to cheeks … Almost reminiscent of the first time you kissed your long time crush. Only in this case, after taking the step there’s no comming back.

What I mean by this is that I realized that my childhood companion, the one confidant who often spent hours on the phone, is a few weeks of giving birth to her first baby. during our whole childhood and adolescence we lived as sisters,and now not only has she got married she is pregnant and all this with my age. The sense of panic and weirdness catch me through these times. My cousin / friend is having a baby and she is only 27 years.

Since Me and Pedro become a couple once in a while, so in total relax moments, we start speaking abot future things. Normally, as a woman, I suffer those kind of freaks of being almost 30. Yet Peter says, and I’m learning it, age are numbers and only numbers and then he does the cold reasoning. Like, now imagine, with our present life, having a child. At this point my panic fades. I seat ideas and realize it is still too early for me. Ok, I believe strongly that it is not for my uterus, but it is for me. I really want the whole package, but not for now. Not with so much remains to be done.

At such times, and with the reasoning cold I realize that actually age are numbers, what counts is what your brain shows you to be right in the now, not the cuddly cry of thy womb at a time we pick a baby.

Regina will have Maria not at 27, but when the brain and the uterus came together to make this event possible. I’m thrilled with the arrival of this new element. This baby was often theme on our conversations, while still neither knew what the future held. I hope Maria’s like her mother, an innocent and happy child, an adolescent with giant eyes and a woman aware of what she wants in life.

As for me, I hope to be as good of a cousin for Maria as I was for Regina. And when my uterus and brain decide to walk together, and my time to get a family arrives, I hope I can count on Maria to go baby-sitting  so I can take a night off!

Today I don’t have a recepy but I bring photos of the cake me and my mom decorated for Maria’s baby shower.

DSCF3038

Anúncios

2 pensamentos sobre “O que vem a seguir?!

  1. com respeito á idade já estas mais que pronta para constituires um lar ,uma familia mas quando se tem um bom ambiente em casa e não falta nada é um pouco cumplicado……agora com respeito ao bolo estava muito lindo mas não o provei

  2. E tu que das duas sempre foste a com mais vontade de casar ter bebes…:) olha as voltas que vida dá…as vezes penso e converso com o meu marido (sim se que é estranho) que nunca me imaginei casada e prestes a ter uma princesa com 27 anos…mas ao mesmo tempo não apressei nada e não me arrependo de nada, a vida correu e foi trazendo o que achava que devia, e digo-te que tem sido dos melhores momentos da minha vida, tanto o casamento como agora, estar de bebe 🙂 não sinto que tenha deixado de aproveitar nada da vida, antes pelo contraio:) mas só passando por estas coisas é que percebemos e tenho a certeza que no momento certo vais entender o que estou a dizer e aproveitar bem:) e em relação a “dar os passos” só tem de se deixar levar…e quando sentirem a vontade seguir em frente sem hesitar e ter medo da “garganta seca” e do “calor das bochecas” pq isso passa ao fim de “meio passo”:) beijinho
    P.S – o bolo estava óptimo 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s