Saborear o maracujá

Esta noite, enquanto tentava reconciliar o sono que me parecia quase perdido, veio-me à mente a primeira vez que saboreie maracujá. Eu digo saboreei, porque existe o comer sem perceber sabores, e existe o saborear. Aquela sensação, que acontece quando te falam em algo e as tuas papilas gustativas disparam malvadamente. Pois bem, nunca mais me poderei esquecer do mítico dia em que percebi o porquê do maracujá ter uma tradução de passion fruit, ou seja, fruto da paixão.

Vou recuar uns 20 anos. Setembro de 1994, Quarteira.

Eu tinha 6 a fazer 7 anos no fim do ano. Estava de férias com os meus pais e a minha irmã, em Albufeira. A minha atual madrinha de crisma, Meninha, tinha chegado à dias com os filhos, sobrinho e marido, para umas bem merecidas férias na Quarteira. Encontramo-nos todos e marcamos um jantar na casa de férias deles, e um jantar na nossa casa de férias. Eu e a minha irmã estávamos excitadíssimas, finalmente íamos poder estar com os nossos amigos pequenos. Fomos até casa deles, brincamos muito, julgo que comemos salmão grelhado, mas não tenho certeza, lembro-me muito bem do momento SOBREMESA. O Duarte, filho da Meninha, pediu a sua sobremesa. Eu não fazia ideia do que era. Aguardei para ver. Se me agrada-se pedia também. A Meninha chegou da cozinha com uma chávena de maracujá. Eu pensei, ah é isso… sim pode ser para mim também. Ela trouxe-me igual. Pela primeira vez saboreie à colherada o maracujá. A sensação que tive foi de júbilo na boca. A doçura e agressividade do sabor fizeram-me arrepiar. Foi indescritível.

O momento acabou, nós voltamos para “nossa casa”. As férias de sol, praia e diabruras continuaram. Contudo o maracujá, nunca mais saiu do meu pensamento. Regressamos a casa, época de escola, e alguns maracujás. Eu comecei a experimentar colocar açúcar, funcionava, mas o sabor original era imbatível.

Os anos passaram e eis que estamos, novamente, em 2014. Ano de tempo louco, pouquíssimo verão, e pelo menos cá em casa pouquíssimo maracujá. Ou seja pela primeira vez, eu não fiz sobremesas com maracujá. Contudo, à umas semanas quando fui até Fátima com o Pedro, e levei piquenique, fiz uma salada de fruta regada com maracujá… os únicos que vi. O resultado foi muito bom, o Pedro pelo menos pareceu-me encantado. Eu senti um prazer incrível por poder saborear o fruto da paixão. Comecei então, a imaginar o que poderia fazer com maracujá.

Esta semana, enquanto andava com a minha mãe a aproveitar os 10% em cartão do continente, passei miraculosamente pelo corredor das conservas e lá estava ele, polpa de maracujá enlatada. Ok, não é o original, mas tem um parecido sabor irresistível. Meti instantaneamente no carrinho, havia de pensar no que fazer.

Ontem comecei a pensar que estava na hora de um post, sobre o quê? A lata de maracujá surgiu-me no cérebro, pensei em contar sobre a fuga do meu agaporne amarelo… mas, parece que as almofadas são mesmo boas conselheiras e quando acordei de manhã, lembrei-me da primeira vez que saboreie maracujá e disse: “é isso, bolo de maracujá!”

Enquanto escrevi este post, ele esteve a crescer no forno, agora que estou a acabar, vou cortar uma fatia pequenina e vou saborear porque verdade seja dita… EU CONTINUO A DIETAR.

BOLO DA PAIXÃO

O que vais precisar?

  • 5 ovos grandes, inteiros;
  • 240gr de açúcar;
  • 170gr de farinha;
  • 50gr de óleo;
  • 20gr de fermento;
  • 100gr de polpa de maracujá sem gracinhas + um bom bocado para ensopar o bolo ;
  • Sementes de papoila qb.

Como vais fazer?

  1. Liga o forno nos 100º;
  2. Numa taça coloca os ingredientes todo menos a semente de papoila. Mexe bem, até envolver a massa toda;
  3. Unta uma forma, com manteiga e polvilhar com farinha;
  4. Cobre o fundo da forma com sementes de papoila. Tapa o fundo;
  5. Verte a massa do bolo e leva ao lume tapado com papel de alumínio, até ficar pronto;
  6. Retira da forma, com o lado das sementes virada para cima;
  7. Com um palito comprido, faz alguns buraco no bolo e rega com a polpa extra. De forma a escorrer pelas paredes do bolo;
  8. Espera que arrefeça e come… ou então come logo. O máximo que pode acontecer é uma mega dor de barriga.

WP_20141009_10_14_18_Pro  WP_20141009_10_16_25_ProWP_20141009_10_16_22_Pro

Anúncios

2 pensamentos sobre “Saborear o maracujá

  1. Que boooom aspeto! 😀
    Esse tenho mesmo de provar!
    Também gosto muito de maracujá, mas a única sobremesa que conheço à base do dito é a tradicional tarde de maracujá!
    Beijinhos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s