Mãe dos adultos… só se for com sementes de papoila!!

Há uns anos atrás, enquanto fazia zapping na TV, encontrei um programa da Oprah. Facilmente parei o zapping para assistir ao programa. Como sempre, o tema era híper interessante.(Sim porque os programas da Oprah são sempre muito bons, principalmente o das favourite things. Fico sempre com vontade de estar no lugar de um daqueles sortudos do publico para ir para casa cheia de caixotes de coisas novas.) O tema era sobre a droga das mães norte americanas, ou melhor mom’s helper. Lembro-me que na altura fiquei chocada, com o facto de as mães tomarem a Ritalina, diagnosticada aos filhos com défice de atenção. Resumidamente, às crianças hiperativas, receita-se Ritalina para se tornarem mais sossegados, produzindo o efeito zombie. Por seu turno, aos adultos, torna-os mais focados nos objectivos e ajuda a manter o peso ou perder. Também ajuda aos AVC’s, coisa que uma jovem mãe provavelmente não se vai preocupar, porque é jovem e os jovens não sofrem de AVC’s. Enfim, para se tornarem super mães, usufruem da medicação do filho. Na altura eu não percebia muito bem o que aquilo significava, mas então comecei a ver donas de casa desesperadas e às tantas a Linete Scavo, mãe de uma família numerosa, faz uso da Ritalina para se tornar uma mãe extremosa, organizada e concentrada. A verdade é que aquilo pacificou bastante os Scavos. Novamente eu não percebia muito bem o que se estava a passar. Questionando até que ponto ser mãe era uma tarefa tão tramada que leva ao consumo de drogas.

Porem, esta semana percebi o porquê.

Esta semana, a minha mãe foi internada 48h horas, para ser submetida a uma cirurgia. Ate aqui tudo mais ou menos pacifico, contudo a bomba caiu. A mãe vai para ao hospital, mas a Angélica está em casa para tratar de tudo, durante a ausência da mãe. Eu aceitei o desafio, achando que ia ser “melzinho na chupeta“. Até que descubro que toda a gente afinal tem um outro nome na boca que não é Angélica, é mãe. Ou seja durante 48h fui mãe a tempo inteiro do meu pai, das minhas três tias mais velhas, do cão, dos pássaros e até da minha irmã mais velha. Tive de acordar quase antes do galo cantar, fazer o pequeno almoço, arrumar a casa, dar roupa, ajudar nas tarefas das tias. Tratar da higiene e comida do cão, manter os passarinhos vivos… ao fim de duas horas no meio deste fogo cruzado, senti-me exausta. Nesse momento enviei SMS ao Pedro para lhe dizer que a minha mãe tinha de voltar o quanto antes ou eu cortava os pulsos com uma faca de manteiga. (só para chamar à atenção, porque eu não sou suicida).

O problema é que ter de ouvir os pedidos de todos e as criticas pelos atrasos, foi o que mais doeu. Bolas eu não sou a mãe, e julgo que se fosse, alguém tinha levado uma bela sova. C’um caraças, no fim do dia eu estava exasperada. Caí na cama e a única coisa que me passou pela cabeça foi, caramba, como é que ela consegue?? Foi então que me lembrei das mães norte americanas, compreendendo o porquê de não conseguirem resistir à tentação de serem as mães ideais para agradaram a todos. Como é óbvio a minha mãe não toma nada, até porque o autocarro de medicamentos que a perseguem, já são demasiado para se meter na Ritalina. A verdade é que ela é uma espécie de super mãe e a verdade é que consegue. Bem ou mal, ela consegue.

As ultimas 24h chegaram, eu comecei a manhã com café duplo, (tinha de fazer experiências) a meio da manhã mais um, ao fim da manhã outro. Incrível. Aguentei-me heroicamente sem vacilar. Ate tive tempo para fazer um bolo. Enquanto pensava no que colocar no bolo pensei novamente no facto de tantas mães serem super-mães, com ou sem ajuda. Pensei também na história do bolo muito procurado que na verdade continha ópio sem ninguém saber. Ou seja, acrescentei sementes de papoila, na expectativa de inocentemente estar a confeccionar ópio no meio de um bolo que me fizesse ter a sensação da Ritalina, afinal  eram mais 12h no emprego de mãe. Porem não funcionou, de tal forma que às 5.30 comecei a amolecer quase imediatamente, tendo acabado esparramada no sofá a dormir profundamente. Ou seja, ainda não descobri como é que o senhor colocava “inocentemente” ópio no seu bolo, mas descobri que ser-se mãe é uma tarefa digna de uma super-heroína. Principalmente, quando os filhos têm idade entre os 30 e os 90.

A operação da minha super-mãe foi um sucesso e ela hoje já esta mais independente, ou seja tive descanso. Nesse descanso pensei se não estarei a viajar na maionese quando falo na módica quantia de três filhos num futuro!

BOLO DROGADO

O que vais precisar?

  • 6 ovos;
  • 220gr de Açúcar;
  • 130gr de farinha;
  • 20gr de amêndoa sem pele cortada grosseiramente
  • 20gr de nozes cortadas grosseiramente;
  • 20gr de sementes de papoula;
  • 100gr de óleo;
  • 20gr de fermento em pó;
  • Açúcar em pó, canela e noz moscada para decorar.

Como vais fazer?

  1. unta uma forma com manteiga e polvilha farinha;
  2. Coloca os ingredientes todos numa bacia, menos o fermento. Bate com a batedeira;
  3. Adiciona o fermento e mexe muito bem com uma colher de pau;
  4. Coloca a massa numa forma e leva ao forno por 40minutos, 150º
  5. Antes de o retirar vê se está bem cozido, fazendo o teste do palito;
  6. Desenforma e polvilha com açúcar em pó, noz moscada e canela.

Ps1: é óptimo para o lanche;

Ps2: vou servir às visitas da minha mãe….

Ps3: Mais importante do que ser uma óptima mãe, é ser uma mãe saudável. Conselho de uma filha!

WP_20141002_14_14_31_Pro WP_20141002_14_15_32_Pro

Anúncios

4 pensamentos sobre “Mãe dos adultos… só se for com sementes de papoila!!

  1. Um beijinho para a D. Irene, com desejos de rápidas melhoras 🙂 Enquanto a autonomia total não chega, aproveite bem os dotes maternais da Angélica para descansar um pouco 😉

  2. Angélica, força nisso, eu sei que tu consegues! Vai-te preparando para os três, assim quando lá chegares já não patinas nem um bocadinho :p

  3. o bolo é muito bom ,eu p’ra agora estou a recuperar com calma e agora contra o resto,
    Olha filha tambem já tive a tua idade e pensava a mesma coisa só que a minha mãe trabalhava na lavoura e tinha sete filhos e graças a Deus conseguia ,eu tambem tinha que conseguir e por isso não tenhas medo porque passa na mente de todos .Basta teres um companheiro compreensivel bj

  4. Bela ideia para utilizar as sementes de papoula que permanecem num frasco. Bolo apetitoso que ia muito bem com um chá =). Bonita declaração para a mãe irene. Como a mammy faz tudo, por vezes, não se tem noção do tempo que levam as tarefas… o que vale é que a filhinha se portou brilhantemente. Rápidas melhoras. =) que venham mais receitas =) Bis

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s