Hambúrguer by Angie Clouds

Vou-te falar da ultima cruzada instigada pelo Diogo e o Rui, comer petiscos bons e baratos. Começamos pelos hambúrgueres! Ui, incrível o que este pequeno jardim à beira mar plantado nos tem mostrado.
Tudo começou na satírica noite da ida ao S. Gonçalinho, onde o objectivo era fazer a Andreia comer Cavacas e o segundo era ir ao famoso Ramona em Aveiro comer os deliciosos hambúrgueres. A parte das cavacas estava completa, a parte do hambúrguer foi impossível. O Ramona estava, como sempre, cheio até à rolha. Eles ficaram tristes mas eu não, porque já os tinha provado. Contudo, queria mostrar o que tantas vezes tornou as minhas noites em Aveiro ainda mais saborosas. Acabamos por ir ao Mundial e os hambúrgueres também compensaram.

Aveiro seleccionado na lista, chegamos ao local seguinte, Lisboa. Um fim-de-semana, em que eu, o Rui, o Diogo e claro a Raquel, fomos a Lisboa ver um programa de televisão, instituímos que assim que acabassem as gravações o destino era a hamburgueria do bairro, isto porque a Andreia passou dias e a dias a falar da famosa hamburgueria do bairro. Confesso que não sei se foi da fome, ou da vontade de comer, o hambúrguer era incrível. Era um pedaço de céu que se desfazia nas nossas bocas. Depois deste, o Diogo e o Rui gozaram comigo quando, numa outra cruzada, me vi obrigada a recorrer a uma cadeia de hambúrgueres rápidos para satisfazer a minha larica.

O tempo foi passando e, não sei se por desejo ou então por estar farta de me aturar a ouvir falar nos hambúrgueres pedaço de céu, a Milai na semana que passou meteu na cabeça que tínhamos de ter uma actividade que nos levasse a Lisboa, tudo para poder comer os hambúrgueres pedaço de céu. Eu disse que haveríamos de fazer uma espécie de piquenique do continente, mas sem Tony Carreira nem piquenique, somente com Hamburgueria do Bairro. Ela aceitou, por 1,5 dias tudo acalmou. Porém, ela voltou à carga: “Vamos ao Munchin, ali na praça Filipa de Lencastre no Porto” eu olhei para a mensagem e pensei é doidinha, como se houvesse algo comparável. Ora Diogo e a Raquel, até agora nossos companheiros no rali dos hambúrgueres, movidos pelo sabor do pedaço de céu não tiveram coragem, mas eu e o Rui fomos heróicos e decidimos alinhar. Em suma eu a Milai, o Rui e o João no domingo passado, recusamos o almoço de família e fomos provar os hambúrgueres. Só posso dizer uma coisa, não há rivalidade possível entre norte ou sul, ambas as hamburguerias têm dos melhores hambúrgueres que eu já comi. Então tu pensas, oh e as batatas fritas que acompanham? Já que os hambúrgueres são igualmente divinais, tenta decidir-te com base no acompanhamento. Não dá! Se num lado as batatas são em palitos com condimentos, no outro são às rodelas e à inglesinha e tão saborosas também. Nestes momentos eu pergunto-me como é que alguém pode ser crítico gastronómico?!

Tudo isto foi para contar que, quando regressei a casa, depois do Munchin, o almoço de família ainda decorria. Eu comecei a contar do sabor, da apresentação, do espaço. Enfim fiz o filme. As nossas “tias” emprestadas, que estavam cá a almoçar, começaram a contar de como eram bons os hambúrgueres que elas comiam aquando da sua estadia na América. Elas falaram com uma saudade tão grande que eu comprometi-me a fazer-lhe hambúrgueres assim que houvesse oportunidade.
Voltamos novamente a este cérebro que tanto precisa de se manter ocupado. Desde esse satírico domingo que eu tenho andado a pensar em como tornar o meu simples hambúrguer numa coisa mais interessante. Num alimento que te saiba seriamente bem, depois da primeira trinca. Na minha cabeça montei todo o hambúrguer, estava mesmo desejosa de o concretizar. Foi então que a minha mãe se deparou com falta de criatividade para o almoço e eu, prontamente, ofereci-me para elaborar o meu hambúrguer. Senti-me num daqueles programas de televisão, tão contente que fiquei por alimentar todos com a minha criação. Confesso que estava nervosa porque não sabia se cairia no goto ou não. Senti-me quase como a Ana Maria Braga quando experimenta as criações. Só me faltou no fim soltar os “cachorros” e fazer o hmmmm. Pelos meus críticos, estava muito bom. As “tias” emprestadas ficaram regaladas com o almoço.
Eu? Eu fiquei satisfeita por todos terem comido uma refeição feita por mim e ter sido um sucesso. O pensamento foi: “vou partilhar esta receita”. Por isso, aqui fica ela:

Hambúrguer by Angie Clouds
O que vais precisar?

  • Pão de hambúrguer;
  • Pesto de cogumelos, ou como aparece nos folhetos do supermercado molho para massas;
  • 1 Folha de alface, limpa e sem talo;
  • 2 Rodelas de tomate;
  • 4 Fatias de Bacon fininhas;
  • 3 Bocados, cortado tipo tira, de pimento amarelo;
  • 100gr de carne picada;
  • 1 Fatia de queijo flamengo;

Como vais fazer?

  1. Besunta uma frigideira com azeite, como se estivesses a besuntar uma forma de bolo. Ou seja tira tudo o que for excedente. A intenção é grelhar e não fritar. Liga o lume e deixa a chapa aquecer bem;
  2. Entretanto, abre o pão de hambúrguer e passa uma camada de pesto de cada um dos lados do pão e começa a montar o hambúrguer a partir da fatia de pão que fica por baixo, colocando-lhe a folha de alface;
  3. Neste momento a frigideira que vai servir de grelhador já deve estar bem quente, coloca-lhe as rodelas de tomate e o pimento. Vai virando para não queimar. O tomate é muito rápido a grelhar, não deixes desfazer. Assim que o tomate estiver pronto coloca-o por cima da alface;
  4. Grelha bem o pimento, sem esturricar. Neste momento deves ter só o pimento na frigideira, ou seja está na altura de trazer o bacon também à frigideira. Novamente não deixes ficar muito tempo de um lado e do outro senão esturrica ou desintegra-se. Assim que o bacon estiver coloca por cima do tomate;
  5. Nesta altura os teus pimentos já devem estar bem mais moles, ou seja coloca-os por cima do bacon;
  6. Chegou o momento de tratar da carne. Coloca-lhe um pouco de sal, pimentão, orégãos e pimenta vermelha, amassa bem para misturar os sabores e faz uma bola. A tua frigideira ainda está ligada e a chapa bem quente por isso é aproveitar. Coloca a bola de carne e amassa um bocadinho com a mão, de forma dar-lhe a configuração de hambúrguer. Vira várias vezes e pressiona para que a carne fique bem grelhada sem ficar esturricada;
  7. Quando o hambúrguer estiver grelhado, desliga o fogo e coloca-lhe a fatia de queijo por cima. O calor vai derreter o queijo;
  8. Quando o queijo já estiver com aspecto amolecido, colocas o hambúrguer por cima do pimento e tapas com a outra metade do pão;
  9. Serve acompanhado de batatas fritas. Podes aproveitar e tentar fazer as maravilhosas batatas fritas da tia Lina.

 

Imagem

 

 

Anúncios

Um pensamento sobre “Hambúrguer by Angie Clouds

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s